Mourão não deixou seu filho desistir do cargo na assessoria da presidência no Banco do Brasil

Mesmo tendo repercussão negativa após noticiarem que o filho do vice-presidente Mourão teve uma promoção rápida dentro do Banco do Brasil, o ex-general não deixou o filho desistir do cargo. “Obviamente que ele não está acostumado com isso, ficou chateado, pensou em não aceitar, em renunciar, por causa da repercussão.”, afirmou Hamilton Mourão.

Antônio Rossell Mourão é funcionário de carreira do Banco do Brasil (BB) há quase dezenove anos e atuava havia onze anos na Diretoria de Agronegócios da estatal, com salário de 12 mil reais. Ao tomar posse, na última segunda-feira (7), o novo presidente do BB, Rubem Novaes, promoveu Mourão filho a assessor especial da presidência, com salário três vezes maior, de 36 mil reais.

 

AF News/Folha UOL/Foto: Reprodução.

Governo dá posse a presidentes de Petrobras, BB, Caixa, BNDES e Ipea

O presidente em exercício
Michel Temer deu posse nesta quarta-feira (1º) a novos presidentes de órgãos e
empresas estatais: Pedro Parente (Petrobras), Paulo Rogério Caffarelli (Banco
do Brasil), Gilberto Occhi (Caixa Econômica Federal), Maria Silvia Bastos
(Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e Ernesto Lozardos
(Instituto de Pesquisas Econômicas e Aplicadas).
Gilberto Occhi, por
exemplo, foi Ministro da Integração no Governo Dilma e até esteve no Sertão em
mais de uma oportunidade visitando as obras da transposição. Também foi
recebido por prefeitos e o promotor Lúcia Almeida para discutir a Adutora do
pajeú ano passado.
Embora os cinco tenham
tomado posse juntos, os nomes deles foram anunciados pela Presidência ao longo
das últimas semanas, desde que Temer, com o afastamento de Dilma Rousseff,
assumiu como presidente em exercício.
Mesmo com a posse dos
novos presidentes desses órgãos, a equipe econômica de Temer ainda não está
completa.
Na semana passada, Romero
Jucá deixou o Ministério do Planejamento após revelação de áudio em que ele
criticava a Operação Lava Jato e a pasta passou a ser comandada interinamente
pelo secretário-executivo Dyogo Oliveira.
Além disso, o
economista-chefe do Banco Itaú, Ila Goldfajn, indicado para a presidência do
Banco Central, ainda não foi submetido à sabatina do Senado necessária para que
assuma o cargo.
Também nesta quarta, o
Palácio do Planalto anunciou o jurista Torquato Jardim como novo ministro da
Transparência, Fiscalização e Controle, pasta que substituiu a
Controladoria-Geral da União (CGU).

O cargo estava vago desde
a última segunda (30), quando o então chefe da pasta, Fabiano Silveira, pediu
demissão em razão da repercussão negativa de um áudio, exibido com
exclusividade pelo Fantástico no domingo (29), no qual ele, assim como Jucá,
criticava a Operação Lava Jato.