O JOGO ESTÁ TOMANDO UM NOVO RUMO, Ciro recua e admite apoiar Eduardo ‘se o PSB decidir’

Críticas à política econômica sustentam mudança de discurso; ‘ela é boa pessoa, mas o governo é muito ruim’ 



Após fechar acordo de cessar-fogo com Eduardo Campos, o ex-ministro Ciro Gomes (PSB) elevou o tom das críticas ao governo federal e já acena com apoio à eventual candidatura presidencial do governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB. Para Ciro, a gestão Dilma é ‘muito ruim’ e a economia do país se ‘deteriora’ de ‘forma rápida e grave’, com possíveis consequências nas urnas em 2014.
‘Ela [Dilma] pode até chegar na eleição, mas não ganha do jeito que as coisas estão indo. O buraco das contas externas do Brasil é o maior da história’, disse.
Para Ciro, ‘O governo da Dilma é muito frágil. Ela é uma boa pessoa, boa presidente, mas o governo é muito ruim’, disse Ciro, até então o integrante do PSB que vinha se opondo de forma mais intensa ao projeto de Campos de disputar a Presidência em 2014.
AINDA APOIA 
O ex-ministro da Integração Nacional de Lula ainda defende o apoio à reeleição de Dilma — justifica a posição como forma de manter a ‘coerência’ no PSB, já que o partido deu apoio a ela em 2010. Mas três semanas após ter jantado com Campos e acertado uma espécie de cessar-fogo, Ciro lança sinais de apoio ao governador de PE. ‘Se o partido decidir [lançar candidato], não tenha dúvida [que vou apoiar]’, disse.
NÃO SE SUBMETER A DILMA
Ciro afirmou ter externado a Campos sua opinião pelo apoio a Dilma, mas disse que eles acertaram que continuarão a discutir o assunto. Para o ex-ministro, Eduardo Campos não deve ‘se submeter a Dilma’.
‘Se o governo não entender que é preciso discutir as questões do país, conversar com ele [Campos], reconhecê-lo como uma liderança importante do país, não há razão para ele se submeter.’
Ciro e seu irmão, Cid Gomes, governador do Ceará, vinham sendo as principais vozes do PSB em defesa do apoio da sigla à reeleição da presidente petista.