JOÃO PAULO ABRE QUATRO PONTOS DE FRENTE NO RECIFE

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira revela que o ex-prefeito João Paulo, do PT, tem 32% das intenções de voto.

Ele lidera numericamente, mas em situação de empate técnico com Geraldo Julio, que tem 28%.

A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

“João Paulo –prefeito entre 2001 e 2008– é uma das principais esperanças do PT nas capitais no momento em que a sigla enfrenta o processo de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff”, diz reportagem de João Pedro Pitombo.

Não sabe
32
João Paulo (PT)
28
Geraldo Julio (PSB)
10
Daniel Coelho (PSDB)
6
Priscila Krause (DEM)
3
Edilson Silva (PSOL)
1
Carlos Augusto (PV)
13
Em branco/nulo/nenhum
7
Não sabe

Simone Fontana (PSTU) e Pantaleão (PCO) não pontuaram

O candidato Aluizio Coelho agradece nas redes sociais a presença em massa do povo de Araripina

Da Assessoria de imprensa

Meus amigos,

Não há forma mais sincera de iniciar essas minhas palavras do que dizendo: muito obrigado, Araripina! Mais do que nunca, tive a compreensão da grandeza que é o sentimento popular. Da responsabilidade que Deus me concedeu de conduzir um projeto que irá dar a Araripina a oportunidade de viver uma nova política. Uma política que não quer derrotar quem quer que seja. Uma política que quer ver os sonhos traduzidos em sorrisos. Que quer resgatar ao autoestima de um povo com vocação para o sorriso, mas que não teme as duras lutas da vida.

Uma carreata com mais de mil veículos. A força que encontramos nas ruas. Um encontro no Alto da Boa Vista em que as pessoas não arredaram o pé. Um dia inesquecível para nós, mas certamente também para aqueles que se achavam donos da vontade do povo. Dos que faziam acordos com as grandes lideranças, enquanto nós, humildemente, olhávamos nos olhos do povo mais simples de Araripina.

Quero fazer diferente! Quero que as minhas filhas, hoje ainda muito novas, possam, quatro anos à frente, compreenderem que o pai delas cuidou das vidas das pessoas, principalmente das mais vulneráveis. Que elas saibam que, assim como nunca irei decepcioná-las, também não terei descumprido os compromissos que aqui assumo com o povo araripinense.

Se alguém ainda tinha dúvida de onde podemos chegar, ontem caiu por terra qualquer vestígio. Vamos adiante. Com os pés no chão, o olhar sincero, e guiados sempre pela força maior de Deus. Araripina, a partir de janeiro de 2017 irei devolver, com muito trabalho, com muita entrega, tudo que tens me dado. Obrigado! Toda a minha gratidão!

PF indicia Lula e Marisa por tríplex no Guarujá

A Polícia Federal indiciou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a mulher dele, Marisa Letícia, no inquérito que investiga a reforma e a propriedade do tríplex no Condomínio Solaris, no Guarujá, litoral paulista. Lula foi indiciado pelos crimes de corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. Já Marisa, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro  (confira aqui o documento).

A apuração do inquérito teve como ponto central reforma realizada no tríplex, construído pela Bancoop (cooperativa habitacional do sindicato dos bancários), que teve como presidente o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto – preso desde abril de 2015.

O imóvel foi adquirido pela OAS e recebeu benfeitorias da empreiteira, acusada de corrupção na Petrobras. “Foi possível apurar que o casal Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia Lula da Silva foi beneficiário de vantagens ilícitas, por parte da OAS, em valores que alcançaram 2.430.193,61 reais, referentes às obras de reforma no apartamento 164-A do Edifício Solaris, bem como no custeio e armazenagens de bens do casal”, conclui o documento de indiciamento, assinado pelo delegado da PF Márcio Adriano Anselmo.

Foram indiciados também José Adalmário Pinheiro Filho, o Leo Pinheiro (corrupção ativa, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica), Paulo Roberto Gordilho (corrupção ativa e lavagem), ambos da OAS, e Paulo Okamoto (corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro).

A Polícia Federal também acusa Lula de ter recebido “vantagens indevidas” no serviço contratado para o armazenamento do acervo presidencial, que foi bancado pela OAS ao custo de 1,3 milhão de reais. Segundo relatório da PF, a empresa Granero guardou dez contêineres em seus depósitos de janeiro de 2011 a janeiro de 2016. A PF anexou aos autos o contrato firmado entre a Granero e a empreiteira, que previa pagamentos mensais de 21.536 reais.

“Assim, em que pese o declarado no sentido de que a OAS teria ‘apoiado’ Luiz Inácio Lula da Silva no custeio desse depósito de bens trazidos quando deixou a presidência, considerado ‘acervo presidencial’. Curiosamente, ao invés de realizarem o ato por intermédio do Instituto Lula, buscou-se a ocultação do real titular do contrato mediante a ‘contratação direta’ pela OAS, beneficiária direta do esquema de desvios de recursos no âmbito da Petrobras”, diz o texto.

rasgado-lula-marisa-indiciados

( Fonte: Veja)

Bairro Zé Martins recebe caminhada da esperança com Pimentel 17

O bairro Zé Martins recebeu, nesta quinta (25), a caminhada da esperança com o candidato a prefeito de Araripina Raimundo Pimentel 17 (PSL), Bringel Filho (PSDB) vice-prefeito, e os candidatos a vereadores que querem uma Araripina decente.

O sentimento da verdadeira mudança e da renovação invadiu as ruas do bairro numa onda verde que se uniu para ouvir as propostas que vão reconstruir Araripina a partir de 2017.

Com a presença da deputada estadual Socorro Pimentel, a população vestiu verde e levantou a bandeira da esperança. “O que era para ser uma caminhada pelas ruas do Zé Martins se transformou em um grande ato de apoio a Raimundo e todos que fazem a campanha por uma Araripina decente”.

Pimentel reafirmou seu respeito ao povo do Zé Martins que viveu a página mais triste da história durante as enchentes que devastaram o bairro e garantiu respeito e atenção aos moradores. “É preciso ter respeito com cada morador do Zé Martins, Adelino e Nossa Senhora do Carmo. Vamos trabalhar duro e com humildade para dar melhores condições de infraestrutura, saneamento básico, educação e saúde”.

Da Assessoria de imprensa

E DESSA VEZ LULA SAMPAIO? QUEM FOI O SEU CARRASCO?

Eu preferiria neste momento intempestivo em que se raciocina mais pelas paixões políticos-partidárias, não emitir e nem dissertar sobre os fatos recentes que acontecem e podem nos surpreender nessa lixeira de alianças e coalizões inesperadas no cenário político de Araripina.

As minhas conclusões podem não ser assertivas, mas muitas foram determinantes para emoldurar o quadro que na oportunidade estamos testemunhando. Não quero aqui estabelecer regras e nem focar em candidato A ou B para discernir neste conteúdo, e sim lembrar como o gestor municipal mais uma vez provou para o ex-prefeito Lula Sampaio, que, aliás, seu irmão Boba Sampaio tentou seguir em outro pensamento, que ele foi principal mentor da sua queda que culminou com o seu afastamento da prefeitura em dezembro de 2011.

Conversando com um parente de Sampaio logo depois da desistência do vice-prefeito Valmir Flho que abriu mão da sua candidatura a prefeito de Araripina, e ele confessava que Lula nunca creditava a culpa maior ao prefeito Alexandre Arraes (PSB) e, sempre procurava outro culpado para o desfecho que todos veiculavam como um golpe planejado pelo palácio para derrubar Sampaio e eleger em 2012 o primo do governador Eduardo Campos. Fato.

Agora que Sampaio consegue emplacar sua filha Camila numa chapa majoritária com Tião do Gesso, para disputar a prefeitura de Araripina, um golpe, outro, enfraquece o seu candidato e todos acreditam que mais uma vez Lula foi golpeado pelo seu carrasco do passado. Dessa vez o seu irmão ainda não disse uma palavra para que todos nós conheçamos a verdade do que aconteceu, e ainda, o que sabemos continuam como boatos e trapaças dos subterrâneos palacianos. Novamente os interesses superiores interferindo nas decisões que só dizem respeito aos munícipes.

Com a dissidência de boa parte dos seus aliados os boatos de que Tião do Gesso marcharia na mesma trilha de Valmir Filho, foram intensos, mas Sampaio resolveu pegar o leme da situação e decidiu juntamente com o presidente do diretório Municipal do Solidariedade, Geraldo Nascimento, com os amigos que restaram, os poucos candidatos a vereador, tornar público que a campanha de Tião do Gesso irá continuar.

Podemos aqui afirmar que uma parte ínfima dos aliados de Tião do Gesso resolveu migrar para a candidatura de Raimundo Pimentel e outra bem maior para Aluízio Coelho, entre eles os mais fieis ao prefeito Alexandre Arraes que inclui o líder da bancada de situação Francisco Edvaldo, João Dias, entre outros candidatos a vereador.

Em um vídeo divulgado nesta quinta-feira, 25, (veja abaixo) a filha de Lula, Camila Sampaio, termina seu depoimento dizendo que: “Araripina tem jeito sim! No dia que o prefeito for do povo e no dia que o povo de Araripina for o prefeito”

Acesse o vídeo >>>

Grampo mostra acerto de propina de R$ 6 mi em Goiás, diz PF

A Polícia Federal afirma que interceptações telefônicas da Operação Decantação, deflagrada na quarta-feira, revelam o ajuste por uma propina de 6 milhões de reais entre o presidente da Empresa Saneamento de Goiás (Saneago), José Taveira Rocha, e o diretor de Gestão da Saneago, Robson Salazar. A suspeita é de que o esquema tenha abastecido campanhas políticas do PSDB no Estado.

Em diálogo de 18 de dezembro de 2015, Rocha e Salazar citam o “governador”. Para os investigadores, trata-se de uma referência ao governador Marconi Perillo (PSDB), que está em seu quarto mandato. A PF apura se a campanha do tucano foi beneficiada com recursos desviados da Saneago.

Leia também:
PF investiga desvio de recursos em confederações esportivas

“Um bobo não vira governador quatro vezes nunca, né”, diz Rocha em trecho do diálogo. Os investigadores afirmam que, na conversa, o presidente e o diretor da Saneago “tratam da elaboração e execução de operações ilícitas e porcentagem de valores, possivelmente de propinas, da ordem de 6 milhões de reais e correspondente a 3% do valor do contrato negociado”.

Em nota enviada na quarta-feira, o governo de Goiás afirmou acreditar na idoneidade dos dirigentes da Saneago, empresa de saneamento do Estado, disse apoiar as investigações e informou que “está inteiramente à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos”.

(Com Estadão Conteúdo)

Russomanno lidera corrida eleitoral em São Paulo, com 31%

O candidato à prefeitura de São Paulo Celso Russomanno (PRB) lidera a corrida eleitoral com 31% das intenções de voto, segundo o Instituto Datafolha, divulgado nesta sexta-feira pelo jornal Folha de S. Paulo. Essa é a primeira pesquisa após o início oficial da campanha.

Atrás do deputado federal aparece a senadora Marta Suplicy (PMDB), com os mesmos 16% que tinha na pesquisa anterior do instituto, realizada em julho. Em seguida, aparecem a deputada federal Luiza Erundina (PSOL), com 10%, o prefeito Fernando Haddad (PT), com 8%, e o empresário João Doria (PSDB), com 5% – eles estão empatados dentro da margem de erro de três pontos porcentuais.

Leia também:
Quem são os candidatos à prefeitura de São Paulo
Lula ficará de fora da primeira propaganda eleitoral de Haddad
Cadê a estrela? Haddad ‘esconde’ símbolo do PT na campanha

Na sequência, estão Levy Fidelix (PRTB), com 2%, Major Olímpio (SD), com 2%, e Ricardo Young (Rede), com 1%. Não pontuaram os candidatos Henrique Áreas (PCO), João Bico (PSDC) e Altino (PSTU).

O deputado federal Celso Russomanno venceria o segundo turno em todos os cenários, de acordo com simulações do Datafolha. Em uma disputa com Marta, Russomanno ganharia com 51% dos votos, ante 32% da senadora – na pesquisa anterior, eles tinham 48% e 31%, respectivamente.

Russomanno derrotaria Haddad com 60% ante 21%; Doria, com 63% contra 16%, e Erundina, com 56% a 29%. O petista perderia de Marta, com 24% dos votos contra 47% dela, e de Erundina, com 25% a 45%. Empataria apenas com Doria, com 35% para o petista e 33% do tucano.

Rejeição — A rejeição do eleitorado com Russomanno oscilou após a absolvição dele pelo Supremo Tribunal Federal, no último dia 9. O número varia de 22% na pesquisa anterior do Datafolha para 18%.

Marta aparece com 32% de rejeição dos eleitores, enquanto o atual prefeito tem a rejeição mais alta, de 49% do eleitoral – 4 pontos maior do que o aferido em julho.

Quem deve enfrentar o maior desafio, segundo o levantamento, é João Doria, que precisa se tornar conhecido entre os eleitores – metade ainda não sabe quem ele é. Ainda assim, tem 22% de rejeição.

O Datafolha ouviu 1.092 eleitores entre 23 e 24 de agosto. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Acusação pedirá suspeição de testemunhas de Dilma; siga às 9h

A professora de Direito Janaina Paschoal, uma das autoras do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, disse que vai questionar a suspeição das testemunhas arroladas pela defesa da petista a serem ouvidas a partir desta sexta-feira no Senado. Janaina deve questionar a parcialidade de ao menos cinco das seis testemunhas de defesa. “Nós vamos contraditar e cobrar que seja adotado o mesmo critério”, disse ela ao fim da primeira sessão, após a meia-noite desta sexta-feira. O questionamento deve ser apresentado logo na retomada dos trabalhos, agendada para as 9 horas.

O presidente do Supremo Tribunal Federal e do julgamento do impeachment, Ricardo Lewandowski, rebaixou a principal testemunha de acusação nesta quinta, a pedido depois de indagação do advogado de Dilma, o ex-ministro José Eduardo Cardozo. O procurador de Contas Julio Marcelo de Oliveira passou da condição de testemunha para informante (sem compromisso de dizer a verdade) por causa de uma postagem no Facebook considerada parcial pelo ministro.

De puxadinho, Cardozo comanda tática do PT no impeachment

Janaina afirmou que o Lewandowski adotou um critério “conservador” e “mais rígido” do que o que vigorava na comissão do impeachment. Segundo ela, atualmente é comum integrantes do Ministério Público, juízes e até ministros do Supremo tecerem comentários políticos nas redes sociais.

“Nenhuma testemunha nossa é tão vital como era Júlio Marcelo para a acusação”, minimizou Cardozo. “Se não for importante para nós vamos evitar a polêmica.”

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), havia dito a jornalistas que, por causa da decisão de Lewandowski, as próximas testemunhas da defesa deveriam receber “tratamento semelhante” ao do procurador Julio Marcelo.

Também foi ouvido nesta quinta-feira o auditor do Tribunal de Contas da União Antônio Carlos D’Ávila Carvalho. A sessão demorou quase quinze horas.

As testemunhas de Dilma são o economista Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo, o consultor jurídico Geraldo Luiz Mascarenhas Prado, o ex-­ministro da Fazenda Nelson Barbosa, a ex-secretária de Orçamento Federal Esther Dweck (que ganhou cargo no Senado a pedido da petista Gleisi Hoffman), o ex-­secretário executivo do Ministério da Educação Luiz Cláudio Costa e o advogado Ricardo Lodi.

Nesta sexta, devem ser ouvidas pelo menos três testemunhas. A presidente Dilma deve comparecer e fazer a própria defesa na manhã de segunda-feira.

NOTÍCIAS SOBRE

Acompanhe o segundo dia de julgamento do impeachment no Senado

 

Logo nos primeiros momentos da sessão de julgamento do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, o advogado da defesa, José Eduardo Cardozo retirou a ex-secretária de Orçamento Federal Esther Dweck e o professor de direito da UERJ Ricardo Lodi Ribeiro da condição de testemunhas. Eles tornam-se informantes, portanto tudo o que for dito por eles durante o julgamento não terá valor de prova no processo.

O pedido de retirada das testemunhas aconteceu após a advogada de acusação, Janaina Paschoal, criticar a nomeação de Esther e dizer que a ex-secretária é “uma das mais ferrenhas defensoras de Dilma”. Cardozo alegou que Ribeiro também deve se tornar informante, já que ele foi um dos assistentes de perícia.

A sessão desta sexta-feira está na fase de questões de ordem pedidas pelos senadores, réplicas e fala dos advogados.