Deputada propõe escolta da PM durante o deslocamento de ambulâncias

A deputada Socorro Pimentel apresentou nesta quarta-feira (26), na Assembleia Legislativa um projeto de lei que torna obrigatória a escolta da Polícia Militar a ambulâncias que transportam pacientes – vítimas de crimes violentos letais intencionais – do interior para a capital ou mesmo para centros médicos mais adiantados.

O projeto foi inspirado na morte da técnica de enfermagem, Josélia Alencar, na madrugada desta quarta-feira (26), durante a transferência de um paciente, ferido a bala, de Araripina para o Hospital Regional Fernando Bezerra, em Ouricuri.

Durante o trajeto, a ambulância foi interceptada por dois criminosos, numa moto, que atiraram contra o paciente com uma espingarda calibre 12, atingindo também a enfermeira.

Socorro Pimentel entende que dar proteção aos profissionais de saúde que prestam esse tipo de serviço é obrigação do Governo do Estado, daí ter apresentado este projeto de lei para o qual espera o apoio das bancadas do governo e da oposição.

|Por Inaldo Sampaio\Foto:Reprodução|

TEMER EXONERA TRÊS MINISTROS PERNAMBUCANOS

Depois de uma avaliação no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer decidiu exonerar nesta quarta-feira (26), três ministros para a votação da reforma trabalhista: Mendonça Filho (DEM), da Educação, Fernando Bezerra Filho (PSB), de Minas e Energia, e Bruno Araújo (PSDB), das Cidades.

Os três são deputados pernambucanos e foram eleitos pela mesma coligação. Após a votação, eles serão renomeados e retornarão aos ministérios.

Apesar da segurança para o placar da reforma trabalhista, o governo quis fazer um gesto com a exoneração dos ministros, pois consegue afastar da votação dois deputados dissidentes do PSB. Com isso, o Palácio do Planalto quer mandar um recado claro: deseja fidelidade de sua base aliada.

“Esse é um gesto simbólico. Tecnicamente, não era preciso esses votos. Estamos tranquilos para essa votação. Mas as exonerações revelam uma conduta diferente do Palácio (do Planalto) a partir de agora. É um aviso aos navegantes”, disse o ministro Antonio Imbassahy, da Secretaria de Governo.

|Fonte:Blog do Camarotti|

Viciados, arrogantes, inescrupulosos e comodistas

 

O cidadão nasce, cresce, toma um rumo na vida ou procura um vício, para esconder suas frustrações. Outros vivem à procura de formas e trejeitos para ganha a vida de um jeito cômodo, ou seja: ganhar dinheiro sem a preocupação se está ou não produzindo alguma coisa. Importante é status e mostrar para a sociedade sua bem sucedida conquista.

Travestido de bom-mocismo quando na verdade exala arrogância, é o mais perfeito “idiota” comendo o filé e deixando os ossos para quem produz – (VICIADOS).

Hoje, vejo a política como um ninho de aranhas, um mapa que aponta uma mina que, não sabemos se de ouro ou de guerra prestes a explodir. O que vemos na verdade é o cidadão surgindo das cinzas sem qualquer perspectiva (pois tudo que tentou na vida não deu certo) reaparecendo como neo-rico, levando uma vida de luxo, tratando quem contesta de besta, incompetente e falador –(ARROGANTES).

O futuro e o presente que só nos serve para recordar o passado. Vejo cidadãos que a princípio criticam, buscam provas contra uma determinada gestão e depois se aliam passando a defendê-la com unhas e dentes, e quando alguém tenta se manifestar vem a ameaça: vamos acionar quem falar sobre certos assuntos…! (INESCRUPULOSOS)

Quando a oposição ganha, muita gente passa a acreditar que, ficaremos livres de certas pessoas, agora teremos novas caras, teremos uma nova visão de administração. Que nada! Vamos continuar vendo algumas caras, apenas mudando de função, pois, por serem parentes de algum político quer prestou apoio ao eleito, terão do direito de continuar comodamente ocupando cargos ou funções. (COMODISTA ATIVO)

Há outro cidadão, aquele que bate no peito e diz: – Eu sou concursado, eu não estou aqui de favores, estou, porque passei em um concurso. Normalmente está ali só e tão somente para receber o salário no fim do mês, trabalhar é um mero acaso, só quando estiver disposto…!

(ESSE É O COMODISTA CARRAPATO, VIVE SUGANDO O SANGUE ALHEIO)

Vavá Dias, é empresário, compositor, poeta escritor

Deputada Socorro Pimentel cobra regularização do pagamento dos pipeiros ao Governo do Estado

Ontem terça-feira, 21, a deputada Socorro Pimentel esteve no Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), reunida com o presidente, Gabriel Maciel, para oficializar o pedido de informação sobre a situação em que se encontram os pipeiros que prestam serviços no Sertão Central e no Araripe.
Em alguns casos, os salários atrasados dos prestadores de serviço chegam até 17 meses.
De acordo com a parlamentar, que esteve reunida com os pipeiros em fevereiro, o Governo do Estado não tem cumprido com os prazos estabelecidos e tem negligenciado a situação caótica que os municípios têm enfrentado.
“Segundo informações que recebi no IPA, o Governador mais uma vez prometeu que a dívida, que se arrasta desde 2014, será paga até junho deste ano. Medidas urgentes precisam ser tomadas a fim de evitar que os municípios fiquem sem água, essa deve ser uma prioridade”, disse.
A deputada ainda ressaltou que a população tem sofrido com a irresponsabilidade do Poder Executivo.
“A situação do povo sertanejo é grave.  As pessoas chegam a pagar até 250 reais por um carro-pipa por semana para ter o mínimo de água para sobreviver, quando a obrigação é do Governo De Pernambuco”.
(Da assessoria de comunicação/Foto:Divulgação)

Túlio Alves relata situação de Bodocó e o abandono da frota de veículos

Ontem terça-feira (14), o prefeito do município pernambucano de Bodocó, Túlio Alves, participou do telejornal GRTV 1º Edição. A entrevista faz parte de uma série que pretende dialogar com os gestores dos 23 municípios da área de cobertura da emissora. O gestor falou dos desafios, as propostas e as expectativas para o mandato.

Izabella Freitas: Nesses primeiros dias de gestão, o que é possível identificar? Como está a situação do município?
Túlio Alves: A situação eu diria que é preocupante, esse início de gestão merece bastante atenção, bastante cuidado de nós que estamos a frente da prefeitura municipal de Bodocó. Não só pela crise que o Brasil enfrenta, mas pela forma que nós recebemos o município. Quando a gente entrou em janeiro, achamos todas as linhas telefônicas cortadas, faltando energia em creche e nas escolas, débitos na Celpe, Compesa, Detran e Previdência. O ex-gestor não repassou aos bancos o valor devido dos consignados. E 80% da frota de veículos, ação social, saúde e educação em estado de abandono. Então é complicado, merece bastante atenção nesse início de gestão.

izabella Freitas: Todos esses casos já foram repassados para o Tribunal de Contas (TCE), Ministério Público (MP)?
Túlio Alves: O Tribunal de Contas esteve fazendo a vistoria no mês passado, mas em relação a frota. Eu quero destacar essa questão da frota, que a população de Bodocó fique ciente, que foi gasto no ano de 2016, em prol dessa frota mais de R$750 mil. Eu queria questionar onde foi investido isso? Porque na frota não foi.

Izabella Freitas: Com esse problema na frota. O que o senhor está fazendo para resolver de efetivo na sua gestão?
Túlio Alves: Nós encontramos ônibus, carros de pequenos portes sem pneus e alguns sem motor. Então, a gente está ao máximo possível apressando esse conserto desses carros, restruturando toda a frota escolar, inclusive. Eu não sou hipócrita, sei que nós temos problemas e vou tentar resolvê-los e mostrar para o povo de Bodocó de que forma vamos resolver.

(Do G1 Petrolina / Foto: Reprodução/ TV Grande Rio)

Os embates para as eleições em 2018 já começaram

A movimentação das duas deputadas do Araripe vislumbrando 2018 tem se intensificado e a ex-primeira dama e atual deputada socialista Roberta Arraes, tem se aproveitados das oportunidades e da ligação com o governador do Estado Paulo Câmara (PSB) para aparecer em fotos principalmente em eventos de instituições estaduais.

Recentemente Roberta Arraes apareceu ao lado do Secretário de Agricultura Nilton Mota, entregando uma saca de sementes a um agricultor, e a deputada garante que o evento que faz parte do Programa de Distribuição de Sementes que contemplou nove municípios da Região do Araripe, já é uma das demandas de reivindicações que ela fez a Câmara. Os dois (a deputada e o secretário) posam para foto segurando a saca.

A deputada também aparece em mais uma das instituições estaduais, a GRE Sertão do Araripe, ladeada por alunos, professores e autoridades da justiça eleitoral, participando do Programa Eleitor do Futuro. Ela fez questão de ressaltar dos avanços na educação e um salto na qualidade do ensino em Pernambuco, mas evidente não quis mencionar e nem deve levar para os seus discursos, como deixou essa mesma educação que tanto exalta, na cidade em que o marido governou por quase cinco anos.

Enquanto isso a deputada Socorro Pimentel (PSL) espera que o seu marido agora prefeito de Araripina, faça o dever de casa para que em 2018 entre em outra disputa com vantagens de conseguir outra vitória diante daqueles que agora fazem oposição ferrenha (que eles afirmam ser “oposição com responsabilidade”) ao governo de Pimentel e a ações da deputada na assembleia legislativa de Pernambuco.

Com a mesma arma que foi usada para atacar o seu esposo nas eleições passada nas disputas municipais, afirmando que ele levou a maioria das obras para o Município de Ouricuri, agora na oposição a deputada Roberta Arraes defende que o Instituto de Medicina Legal – IML, pelas questões geográficas, seja instalado em Ouricuri, contrariando a defesa de Socorro que defendia a bandeira do Município de Trindade para receber o empreendimento.

A deputada Socorro Pimentel que faz parte da bancada de oposição ao governo do Estado tem defendido a liberação dos recursos das emendas impositivas, advertindo que muitas vezes  essa tem seguido um caminho dos deputados ligados ao Palácio do Campo das Princesas.

Isso tudo é apenas um aperitivo para o ano que vem. Teremos muitas lutas no reconhecimento de paternidade de obras como a UPA-E de Ouricuri, o Centro de Hemodiálise de Araripina, o tão sonhado Aeroporto Regional, e outras que podem sair do papel em 2018 para também tentar fortalecer as bases fragilizadas de Paulo Câmara no Sertão do Araripe.

E por falar em Câmara…Fernando Bezerra Coelho (PSB) pode ser um dos prováveis opositores em 2018 na disputa para o governo do Estado?

O PANELAÇO

Por Vavá Dias

Falar do caráter alheio é muito complicado. Ao falar eu me envergonho, e fico ao mesmo tempo pensando, será que o recado que estou mandando vai sensibilizar o sujeito (cidadão) a que estou me dirigindo? Ou será que ao ler, ele dará risada de deboche?

Estou como todos os dias, aqui tentando ganhar o meu pão, tentando educar os meus filhos. Porém, querendo ou sem querer fico ouvindo o que professores (as) e diretores (as) falam. Confesso estou assustado.

Ontem entrou um disse, o computador da escola sumiu; o outro, que levaram papéis, livros, etc. Agora levar até as panelas…isso é demais, não deixar nem o retrato  da merenda escolar! Será que essas pessoas, professores, funcionários públicos, acham que ao acabar uma gestão acaba o compromisso que eles têm com a educação, caráter e bom exemplo? Lembrem-se os senhores são educadores, pessoas que substituem os pais durante o período escolar, e qualquer movimento estará sujeito à imitação de seus alunos. Dar bons exemplos é sua obrigação.

Eu sempre achei que, o gestor ao sair ,sentasse com o substituto, entregando-lhe a casa em ordem, dando o mais puro exemplo de organização e sobre tudo, dignidade.

Ao professor (a) (aquela figura idolatrada, amada cujo gesto, a gente admira e confia) cabe, ao ver essas barbaridades, denunciar pois, o mundo ele apenas gira, ele não se acaba, aquilo que, usufruímos e não nos pertence deve continuar lá, pois o aluno que ano passado fazia primeiro ano, nesse novo ano cursará o segundo, pode ser que mude o professor (a) o gestor (a) ele continuará merendando (e muitos comparecem só e tão somente só pela merenda) é triste, mas é fato.

Hoje, começo a entender alguns gestores (as) que sempre nos compraram, antes de mudar o prefeito, por volta de novembro, eles aqui compareceram com um cheque, nos compravam, levando um papel assinado por mim, pois, a mercadoria só poderia ser entregue ao próximo gestor (a) em meados de janeiro.

Meus Deus! Será que alguém tem coragem de levar uma resma de papel, um pincel, uma pasta, uma tesoura, um caderno, coisas que pertencem não à escola e sim ao aluno carente? Se tem, digo com todas as letras: Imoral!!!

N.B. Quem estatuiu, direitos e deveres não fui eu, muito menos a dignidade. Todos somos dotados de moral, não é nem um peso usá-lo.

Vavá Dias

Vavá Dias, é compositor, poeta, escritor e empresário

ARARIPINA, CIDADE DE MUITOS DONOS

Foto: Arquivo Araripina

Era uma vez, um lugar, situado a oeste de Pernambuco, divisando-se com Piauí e Ceará, localizado no Sopé da Serra do Araripe. Esse lugar chamava-se São Gonçalo do Sauhén. Era aos olhos dos grandes homens da época um lugar próspero, pois, havia plantio de mandioca, e no Sítio Jardim já se colhia milho e feijão em abundância, além do criatório de gado.

Certo dia, ali pelos idos dos anos trinta, homens visionários “aqueles que estão sempre pensando séculos à frente do seu tempo” e com muita luta, muitas idas e vindas á capital Recife, “diga-se de passagem ir a Recife naquela época levava quinze dias para ir e ao mesmo tempo voltar, conseguiram a emancipação de São Gonçalo do Sahuén.

Ao amanhecer de onze de setembro nascia Araripina, precisavam de um gestor alguém com a cara da cidade, a coragem de um desbravador e a vontade de um servidor, tal qual aquele que disse: fazei o bem sem olhar a quem. O escolhido foi o coronel Pedro Cícero.

Araripina está livre de Ouricuri, agora somos também cidade, vamos guiar nossos próprios passos, vamos crescer, vamos fazer das veredas, caminhos para um futuro próspero, seremos grandes.

Tudo caminhava, conforme os homens visionários haviam sonhado. Eles só não contavam com a eleição do novo presidente da República, essa veio para tirar o sono daqueles cidadãos que até então planejavam como dizia meu pai, Sr. Hermes Miguel de Souza (Ramalho), uma administração de vergonha na cara.

O que ninguém sabia, é o que novo presidente da República, o coronel Getúlio Vargas, ao assumir a presidência, decretou uma lei: para ser prefeito, o cidadão tinha que ser doutor. Doutor na sua concepção era o sujeito com diploma universitário, ou seja, alguém com um diploma, não importando qual, porém, só podia administrar uma cidade com o título de doutor. Para não ser antipático ao decreto do Sr. Presidente, vou citar um exemplo: o único doutor encontrado em Juazeiro do Norte, foi o Padre Cícero Romão. Tornou-se prefeito.

Voltando à nossa cidade, foi uma loucura, o prazo era muito pequeno, como já falei anteriormente para ir ao Recife levava muito tempo, não havia como. Toda luta estava perdida…ou parecia perdida.

De repente, apareceu um chapeado (chapeado na época, era um homem que usava chapéu com uma placa que nominava a pessoa). Esse chapeado falou sobre um cidadão, que ajudara a descarregar, duas malas de couro em um jumento, que pelos apetrechos que vira, podia imaginar tratar-se de um doutor.

Araripina que parecia perdida renasceria em instantes. Todos foram ao encontro do tal homem e lá chegando veios as indagações: – de onde o senhor vem? Ele respondeu: – da Paraíba. – O Sr. é doutor? – Sou dentista. – Então o Sr. é doutor. E esse senhor tomou posse, governou Araripina, sem saber qualquer coisa sobre São Gonçalo do Sahuén. Esse senhor chamava-se: Ademar Feitosa. Segundo meu pai, Hermes Miguel de Souza, a única coisa que ele se preocupava, era os fiscais para cobrar impostos sobre as bancas de feira… e já não andava mais de jumento, já tinha o seu cavalo Alazão.

Algum tempo depois, os visionários da época foram buscar na Bahia, um cidadão que atendia pelo nome de, José de Araújo Lima, médico, parteiro, homem de grande índole, que governou nossa cidade com mão de ferro, fez muito, muito mais do que todos esperavam, foi o prefeito austero (austeridade é tudo que eu sonho e espero de um gestor). Não há qualquer notícia sobre sua falta de conduta tampouco de enriquecimento ilícito, sobre sua pessoa, doutor Araújo, foi um marco na nossa história. Que Deus tenha providenciado uma cadeira confortável para o Doutor Araújo lá no céu.

Volto ao título da matéria, pois, é muito importante ressalvar que: Família Arraes veio do Araripe; Família Bringel (Santiago Bringel) veio do Araripe; Família Jacob da qual faço parte, veio da Paraíba; Família Dias da qual me orgulho de pertencer – meu avô Miguel Dias de Souza, foi o segundo professor de Araripina, veio da Paraíba. Meu bisavô, João Jacob de Souza, foi delegado, inspetor de quarteirão em Araripina, também veio da Paraíba. Por isso, o título, ‘Araripina, terra de muitos donos’.

Eu, Vavá Dias, digo sempre que posso, graças a Deus, nasci em Presidente Venceslau, São Paulo. Sabem porque digo ‘graças a Deus’? Eu nasci com uma doença incurável chamada crupe, se eu estivesse nascido aqui, hoje eu não seria nem lembrado pelos meus irmãos. Seriam 64 anos de um funeral esquecido.

Outro dia minha filha Maria Clara Dias, que tenta o vestibular para medicina, me ligou, perguntando sobre a tal doença. Ela estava em sala de aula, o médico que lá estava disse: diga a seu pai que essa doença ainda não está erradicada, ainda houve mais de quinhentos casos em 2016 no país. Só que agora existem técnicas para combatê-la.

Para falar sobre o meu bisavô, sobre Sebastião Batista Modesto, sobre o meu pai, Hermes Miguel de Souza, preciso parar de chorar e de lembrar-se da última administração que tivemos …eita sertão sofredor!

Sobre, Ademar Feitosa há alguns anos recebi uma senhora em meu estabelecimento, me pedindo para que escrever um livro sobre Araripina. Essa senhora da família do finado José Arnaud Campos, falou-me sobre uma pessoa que ela encontrara em Goiânia, com o mesmo nome e proveniente de Araripina, só que, jamais tocou no assunto de prefeitura, assim como também no de odontologia.

Se alguém descobrir alguma informação aqui que não corresponda com a verdade, estou aberto a qualquer sugestão. Tudo que contei aqui eu não li e sim ouvi durante toda minha vida dos meus parentes velhos.

 

Abraços,

Vavá Dias

Poeta, escritor, compositor e empresário