Paulo Câmara nega redução do ICMS: não vamos abrir mão de receita

Cobrado pela oposição para reduzir a cobrança do ICMS sobre os combustíveis, o governador Paulo Câmara (PSB) negou nesta sexta-feira (25) que vá reduzir o imposto em Pernambuco. “Nós não vamos, de maneira nenhuma, no momento de crise que nós passamos, abrir mão de receita de saúde, de educação, de segurança, para garantir lucro da Petrobras”, afirmou em entrevista coletiva no Palácio do Campo das Princesas.

O governo federal está querendo iniciar essa discussão, uma discussão que não pode ser feita dessa forma, sem planejamento. Temos uma carga tributária alta há tempos e não se pode resolver da forma que o governo federal quer”, disse ainda. “Não vamos entrar nessa discussão. Pelo contrário, nós vamos garantir a normalidade do funcionamento dos serviços públicos e a União cuide efetivamente de resolver essa questão dos preços dos combustíveis mudando essa política absurda da Petrobras que fez parar o Brasil e está prejudicando os estados e a população”.

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, anunciou nesta sexta-feira (25) que o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) concordou em incorporar na base de cobrança do ICMS do diesel a redução de 10% do preço do combustível anunciada pela Petrobras. “Isso vai levar redução na bomba em torno de R$ 0,05. Com isso, serão R$ 0,05 (de desconto da Petrobras), R$ 0,05 centavos com o zeramento da Cide e mais R$ 0,05 em média com o ICMS”, disse Guardia. Segundo o ministro, os secretários de Fazenda presentes na reunião também concordaram em calcular a cobrança do ICMS do diesel apenas a cada 30 dias, a exemplo do reajustes que serão dados nas refinaras da Petrobras. Guardia afirmou que as secretaria de Fazenda de todos os Estados terão até segunda-feira, 28, para homologar esse acordo.

Fonte: Blog Do Jamildo

Projeto Família na Praça recebe Quadrilhas Juninas de Araripina a partir deste domingo

O projeto Família na Praça – realizado aos domingos pela Prefeitura de Araripina – tem o intuito de promover momentos de lazer entre as famílias. Das 16h às 21h, parte da avenida Antônio de Barros Muniz é fechada para as crianças andarem de patins, bicicleta, skate e também para a prática de atividades físicas, como caminhadas e corridas ou até mesmo para um simples bate-papo entre os amigos.

Já no clima do São João, Quadrilhas Juninas de Araripina irão se apresentar no Família na Praça a partir deste domingo (27), mostrando o resgate das tradições e da cultura do interior pernambucano.

O projeto Família na Praça é uma iniciativa da Prefeitura de Araripina junto com as secretarias de Cultura, Esportes e Lazer, Desenvolvimento Urbano e Desenvolvimento Econômico, além da AMMTT para levar mais uma opção de lazer e bem-estar à população.

SECOM/Foto: Bruno Rostand

Vagas de emprego para Trindade e Ipubi, confira!

Vagas de empregos ofertadas pela Agência do Trabalho de Araripina:

Duas vagas de emprego para Supervisor de vendas – Ensino Médio completo – salário não informado – experiência de 6 meses (Vagas para Trindade e Ipubi) Experiência com vendas e gestão de equipes, CNH AB.

 Duas vagas de emprego para Vendedor externo – Ensino Médio completo – salário não informado – experiência de 6 meses (Vagas para Trindade e Ipubi) – Experiência com vendas e possuir moto.

Três vagas de emprego para Vendedor interno (loja de departamentos) – Ensino Médio completo – salário não informado – Disponibilidade de horários devido a possibilidade de mudança de turno de trabalho.                   

Uma vaga de emprego para Marmorista – Fundamental completo – salário não informado – experiência de 6 meses.                                       

Uma vaga de emprego para Vigilante patrimonial – Fundamental completo – salário de 1.109,19 + 30%    (Vaga para IPUBI) Temporária 45 dias de trabalho, necessário curso atualizado de vigilante.

Procure a Agência do Trabalho/Araripina/PE CEP: 56.280-000/Tel.: (87) 3873-8385 / 8381

Araripina em Foco/Vagas de Emprego

Temer quer usar Forças Armadas para acabar com greve de caminhoneiros

Diante da proporção que está tomando o movimento grevista dos caminhoneiros, o governo decidiu endurecer nesta sexta-feira (25/5) e quer usar as Forças Armadas para a desobstrução das estradas país afora. O presidente Michel Temer deve fazer um pronunciamento a qualquer momento para falar sobre a greve e fazer uma avaliação da situação.

A Polícia Federal vai investigar a possibilidade de locaute – participação dos patrões – na paralisação dos caminhoneiros, que entrou nesta sexta no quinto dia, apesar do acordo firmado na noite de Quinta-feira (24). Mesmo com a câmara de compensação proposta pelo governo, que manterá, por meio de subvenções bancadas pelo Tesouro, o preço do diesel estável para os distribuidores, o que se constata nesta sexta é a ampliação dos pontos de retenção das estradas e não a redução do movimento, como esperava o governo federal.

Locaute é caracterizado quando empresários de um setor contribuem, incentivam ou orientam a paralisação de seus empregados. Ou seja, é uma greve liderada pelos patrões, com o intento de obtenção de benefícios para o setor, o que é proibido por lei.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo apurou, a avaliação do próprio governo é de que o Planalto subestimou a proporção que a mobilização poderia tomar, um erro do sistema de inteligência, que é comandado pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Fonte: Metropoles

TSE define quanto cada partido receberá de fundo eleitoral

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou hoje (24), por unanimidade, uma resolução para regulamentar a distribuição de recursos do Fundo Eleitoral público, de R$ 1,716 bilhão, para financiar campanhas.

Entre as principais definições está a de que cada partido somente receberá os recursos após sua respectiva executiva nacional aprovar e divulgar amplamente os critérios para distribuição do dinheiro entre os candidatos, que podem ser alvo de contestação pela Justiça Eleitoral.

De acordo com os critérios definidos em lei, entre eles o tamanho das bancadas no Congresso no dia 28 de agosto de 2017, o TSE calculou qual a porcentagem dos recursos que caberá a cada partido. A legenda que mais receberá recursos será o MDB (13,64%), que deve ficar com R$ 234,19 milhões.

O segundo partido que receberá mais recursos será o PT (12,36%), com R$ 212,2 milhões, seguido por: PSDB (10,83%), com R$ 185,8 milhões; PP (7,63%), com R$ 130,9 milhões; e PSB (6,92%), com R$ 118,7 milhões. Partido Novo, PMB, PCO e PCB (0,57%) serão as legendas com menos recursos do Fundo Eleitoral, tendo direito a R$ 970 mil cada.

Uma vez liberados, os valores devem ser transferidos para uma conta única do diretório nacional de cada partido, que deverá, então, promover a distribuição entre os candidatos, conforme os critérios divulgados anteriormente. Posteriormente, nas prestações de contas eleitorais, a Justiça Eleitoral verificará se tais critérios foram obedecidos.

Apesar do valor total do Fundo Eleitoral já ter sido definido pelo Congresso no ano passado, a planilha divulgada pelo TSE não traz valores em reais, somente as porcentagens de cada partido.

Segundo o presidente da Corte, ministro Luiz Fux, isso se dá por precaução, pois a Justiça Eleitoral prefere aguardar o efetivo depósito dos recursos em uma conta específica, pois imprevistos que podem alterar o valor efetivamente disponibilizado e o cálculo poderia não ser preciso.

“Estamos estabelecendo os porcentuais, depois quando vier a disponibilidade total vamos divulgar os valores. Sem que venha antes [o dinheiro], nós podemos mencionar valores que podem não corresponder à realidade”, disse Fux.

A resolução aprovada nesta quinta prevê ainda que 30% dos recursos de cada partido deve ser aplicado na candidatura de mulheres, conforme confirmado na semana passada pelo próprio TSE.

De acordo com a lei que criou o Fundo Eleitoral, os critérios para a distribuição para cada partido foram:

I – 2% (dois por cento), divididos igualitariamente entre todos os partidos com estatutos registrados no TSE;

II – 35% (trinta e cinco por cento), divididos entre os partidos que tenham pelo menos um representante na Câmara dos Deputados, na proporção do percentual de votos por eles obtidos na última eleição geral para a Câmara dos Deputados;

III – 48% (quarenta e oito por cento), divididos entre os partidos, na proporção do número de representantes na Câmara dos Deputados, consideradas as legendas dos titulares;

IV – 15% (quinze por cento), divididos entre os partidos, na proporção do número de representantes no Senado Federal, consideradas as legendas dos titulares.

Veja abaixo a porcentagem que cada partido tem direito no fundo eleitoral:

PMDB – 13,64%

PT – 12,36%

PSDB – 10,83%

PP – 7,36%

PSB – 6,92%

PR – 6,59%

PSD – 6,52%

DEM – 5,19%

PRB – 3,9%

PTB – 3,62%

PDT – 3,58%

SD – 2,33%

PTN (Podemos) – 2,1%

PSC – 2,09%

PCdoB – 1,77%

PPS – 1,7%

PV – 1,43%

PSOL – 1,24%

Pros – 1,23%

PHS – 1,05%

PTdoB (Avante) – 0,72%

Rede – 0,62%

Patriota – 0,57%

PSL – 0,53%

PTC – 0,36%

PRP – 0,31%

PSDC – 0,24%

PMN – 0,22%

PRTB – 0,22%

PSTU – 0,57%

PPL – 0,57%

PCB – 0,57%

PCO – 0,57%

PMB – 0,57%

Novo – 0,57%

Texto alterado às 14h05 para corrigir informação. Partido Novo, PMB, PCO e PCB receberão R$ 970 mil, cada, do Fundo Eleitoral, e não R$ 9,7 milhões, como havia sido informado

Ônibus da Guanabara colide em carro e deixa cinco mortos na BR-135 do Piauí

Um grave acidente, envolvendo um ônibus da empresa Guanabara e um carro de passeio, deixou um saldo de cinco mortos, no quilômetro 46 da BR-135 da cidade Bacabeira, no Piauí, O fato aconteceu por volta das 5h15 da manhã de ontem, quinta-feira (24).

Segundo as primeiras informações da Polícia Rodoviária Federal no Maranhão (PRF-MA), o acidente aconteceu já no trecho duplicado da BR-135, quando o carro de passeio, modelo Gol, cor preta, placas OJA-9044, vindo da cidade de Arari (MA), reduziu a velocidade para passar em um quebra-mola. Logo atrás, o ônibus da Guanabara, que vinha de Fortaleza (CE), não conseguiu frear e bateu com violência na traseira do carro, que foi jogado para o canteiro central, completamente destruído. O ônibus permaneceu sobre a pista.

Ainda de acordo com a PRF, os cinco ocupantes do veículo de passeio, que ainda não foram identificados, morreram na hora.

Equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), do Instituto Médico Legal (IML), da PRF, Corpo de Bombeiros, Perícia Criminal e da empresa Guanabara já estão se deslocaram para o local do acidente.

A PRF informa também que ao longo do dia deverá ser divulgada a lista com o nome dos mortos. Não há informações sobre feridos.

Fala Piauí

8ª FECOU deixa Ouricuri em festa e movimenta a economia do Sertão pernambucano

Teve inicio na noite dessa quinta feira (24), a 8ª FECOU (feira do Comercio de Ouricuri), a maior vitrine comercial do Araripe, a abertura oficial contou com toda a diretoria da CDL Ouricuri, representantes do SEBRAE Araripe, também com a presença da vice-Prefeita de Ouricuri, Gildevânia  Melo representando a Prefeitura Municipal, representantes da Câmara Municipal de Ouricuri,  além do deputado Federal Kaio Maniçoba, deputado estadual Odacy Amorim entre outras autoridades.

Após a abertura oficial da feira milhares de pessoas entraram para conferir de perto a grande estrutura montada em mais de 5.000 m², contendo stands, praça de alimentação, palco e muitas apresentações artísticas e culturais.

O stand SEBRAE deu inicio as consultorias ao publico e apresentou muita tecnologia de olho no futuro, a praça de alimentação foi um dos pontos mais visitados pelos participantes que conferiam os shows de Neudo Oliveira e Maciel Melo que tocaram vários ritmos musicais.

Varias apresentações culturais marcaram a abertura do evento como a banda de Pífanos de Santa Filomena, o grupo de capoeira Muzenza, o sanfoneiro Januário entre outras representatividades da cultura do Araripe.

A primeira noite da 8ª FECOU foi marcada pela a alegria e pela tranquilidade, a Policia Militar e os seguranças particular garantiram a segurança, enquanto a secretaria de saúde de Ouricuri ofertou serviços de saúde no local, Edilson Batista Presidente da CDL comemorou  a abertura da feira “está tudo nos conformes em todos os pontos do evento, na parte de segurança, cultural e de negócios, esperamos um publico ainda maior nos dias 25 e 26 de Maio e desde já agradeço a todos os que se engajaram na realização desse grande evento que já está sendo uma realidade para todos nós” concluiu Edilson.

Da Assessoria de Comunicação

Mercado vê governo Temer enfraquecido

Os reis estão nus – As reações do governo e do Congresso ao levante dos caminhoneiros surpreenderam analistas do mercado, que viram alguns de seus principais interlocutores se mostrarem incapazes de administrar a crise. O Planalto, avaliam, evidenciou seu esfacelamento político e arrastou a Petrobras para perto do cadafalso. Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) virou meme em grupos de investidores após subestimar em R$ 8 bilhões o impacto do projeto que tirou da cartola em aceno a grevistas.

O  erro de Maia na votação de texto que zeraria alíquotas do Pis/Cofins foi alvo de críticas até de correligionários. Entre investidores, o democrata, que por meses percorreu bancos e corretoras pregando austeridade e agenda liberal, foi chamado de “vereador federal”, numa menção ao seu apequenamento.

Sem garantia de que a greve será encerrada, o governo vai centrar forças em alardear os termos do acordo para desmobilizar o maior número possível de manifestantes —e especialmente as transportadoras.

O presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, Guto Ferreira, postou mensagem pró-greve nas redes sociais. “O Brasil tem mesmo de mudar e a hora é agora”, disse, concluindo que os interesses da Petrobras não poderiam ficar acima dos do povo.    Procurado, Ferreira disse ter falado como cidadão, não como presidente da ABDI.   (Daniela  Lima – Painel, FSP)

Fonte: Folha PE

Prefeito de Bodocó consegue donativos em Brasília para famílias atingidas por enchente

Em agenda na capital federal nessa quarta-feira, 23, o prefeito de Bodocó, Túlio Alves, conseguiu viabilizar recursos do Governo Federal para famílias prejudicadas pela enxurrada do dia 13 de abril. Túlio se reuniu com o secretário nacional de Defesa Civil, Renato Newton Ramlow, e garantiu donativos de diversos gêneros para 347 famílias atingidas pela enchente.

O município vai receber 1.603 colchões, 1.613 kits de dormitório, 404 cestas básicas, 404 kits de limpeza e 404 kits de higiene pessoal. As doações do governo chegarão em breve.

O prefeito ainda conseguiu uma emenda parlamentar para dois gabinetes odontológicos, duas ambulâncias e auxílio financeiro de R$ 400 mil. O deputado Fernando Filho ainda assegurou a revitalização da Avenida José Pires da Silva.

ASCOM / Foto: reprodução

Caminhoneiros criticam sindicatos e dizem que continuarão parados

Caminhoneiros autônomos parados nas rodovias disseram, após a divulgação do acordo do governo e oito entidades da categoria, que não acabarão com a greve. “Os supostos sindicatos que estão negociando não representam os caminhoneiros que estão na rua”, disse o motorista Aguinaldo José de Oliveira, 40, que trabalha com transportes há 22 anos e para quem o movimento não tem um líder.

“São uns aproveitadores que não falaram com a gente antes da greve e chegaram agora, quando já estava tudo parado”, afirma o caminhoneiro que está parado na av. Anhaguera, Campinas. “Estou em mais de 30 grupos de WhatsApp e em nenhum aceitaram esse acordo.”

Segundo ele, os caminhoneiros pretendem manter a paralisação porque o acordo não atinge as suas principais reivindicações. “São 14 itens que a gente nem conhece. O principal é a redução do diesel, mas não essa esmola temporária de 15 centavos.”

Outro caminhoneiro de 48 anos, parado em Campina Grande, na Paraíba e que preferiu não se identificar, concordou que o acordo não representa os trabalhadores autônomos.

“Nenhum caminhoneiro vai aceitar esse acordo. O Brasil vende diesel para a Bolívia a R$ 1,80 e a gasolina a R$ 2,50. Por que não pode vender aqui também?”, questionou.

E reclamou de outros pontos que não apareceram no acordo. “Por que só caminhoneiros têm que usar tacógrafo e fazer exames toxicológicos?”. Para ele, ou todos os motoristas deveriam ser obrigados a cumprir tais exigências ou que nenhum fosse.

“Pagamos R$ 400 para um exame toxicológico, IPVA, diesel caro e ainda temos que pagar pedágio”, disse. “Não está faltando nem comida, nem bebida para gente, vamos continuar nas estradas”, afirmou o caminhoneiro.

Fonte: Folhapress