Policiais da 2ª CIPM fecham mais uma “Boca de Fumo” em Cabrobó, PE

No final da tarde de quarta-feira dia (24), por volta das 17:30, após levantamentos realizados por Policiais Militares das equipes Malhas da Lei e NIS-3 em conjunto com  a equipe ROCAM da 2ª CIPM, foi montada uma operação para cumprir um mandado de busca que culminou em mais uma “Boca de Fumo” fechada na cidade de Cabrobó, no Sertão de Pernambuco.
Os policiais se deslocaram para a rua Sebastião Lourenço, nº 66, no bairro Pedro Quirino onde estava funcionando um ponto de venda de drogas, e ao realizarem buscas na residência localizaram as pessoas de Heleno Gomes da Hora, e Águida Gomes da silva, sendo encontrado juntamente com os imputados os seguintes materiais: 32 (trinta e duas) pedras de crack pesando 7,8 gramas; 2 (duas) porções de maconha pesando aproximadamente 69 gramas; 1 (uma) peteca de cocaína pesando aproximadamente 2,2 gramas; 2 (duas) balanças de precisão; 321,00 (trezentos e vinte e um reais) provenientes do tráfico de drogas e 10 (dez) Pen Drives.
Todo material apreendido juntamente com os acusados foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil local onde Heleno Gomes da Hora foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e encaminhado a Cadeia Pública local, já Águida Gomes da silva responderá processo por portaria. 

Caminhão carregado de livros pega fogo próximo a Araripina, PE

Um caminhão carregado com livros pegou fogo no final da tarde de  terça-feira (23), na Br-316, próximo a Araripina, no Sertão de Pernambuco. Segundo informações de testemunhas, a pista tinha livros escolares por toda parte, em mais ou menos 5 km de pista. O carro, segundo as testemunhas, trafegava em chamas pela via fazendo zig-zag.
O Corpo de Bombeiros foi acionado e tentava controlar o foco de incêndio. Não há informações sobre o que causou o fogo ou sobre vítimas. (Fonte: Wanderley Alves/ Foto:Ilustrativa)

Após pedir “nudes” de adolescente, homem é preso suspeito de pedofilia no Piauí

Um homem de 27 anos foi preso ontem terça-feira (23), em Parnaíba (PI), suspeito de tentar aliciar uma adolescente de 12 anos. Além da prisão, foi cumprido um mandado e busca e apreensão na casa do suspeito, onde foi apreendido o celular utilizado para a troca de mensagens com a vítima. Segundo a Polícia Civil, o preso fez vários pedidos de “nudes” para a menina.

O delegado Paulo Coelho, da delegacia de Luis Correia, que gerencia a investigação, afirmou que o caso foi denunciado e que a prisão foi requisitada para facilitar a coleta de provas, já que o suspeito enviou “nudes” para adolescente e pedia que ela também fizesse o mesmo.

“Recebemos uma denúncia, conseguimos ter acesso a algumas conversas e a partir disso desgravamos áudios e conversas. Fizemos o monitoramento dele para saber quem era a pessoa e saber se a intenção de contato com a adolescente era de fato real”, relatou o delegado.

Tanto o mandado de busca e o mandado de prisão temporária foram cumpridos nesta terça-feira. Os policiais chegaram à casa do suspeito por volta das 6h e o homem se negou a abrir a porta dizendo que era outra pessoa.

“Chegamos nas primeiras horas da manhã e ele não queria nos deixar entrar. Depois de um tempo, ele nos deixou entrar e negou que era quem procurávamos, mas a polícia já o conhecia por imagem. Quando perguntando pelo celular, ele disse que tinha perdido o aparelho, mas acabamos achando em cima do telhado da casa. Depois, ele confessou que teve essas conversa, mas negou o caráter sexual e disse ainda que não sabia que a jovem era adolescente”, disse o delegado Paulo Coelho.

O celular apreendido será periciado e o caso do suspeito vai para audiência de custódia, que vai decidir se ele fica preso pelos 30 dias da prisão temporária, ou se será liberado. (Do G1 Piauí)

Ex-policial civil de SP que vendia escutas telefônicas para a facção criminosa PCC é morto

O ex-policial Jurandir Tiago da Silva, 44 anos, demitido da Polícia Civil de São Paulo por vender cópias de escutas telefônicas autorizadas pela Justiça para membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), foi morto a tiros na noite desta sexta-feira (19), na Vila Curuça, região de São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo.

Demitido da Polícia Civil em 18 de setembro de 2008, “a bem do serviço público”, Jurandir Silva estava em um Ford Fiesta quando, por volta das 23h, chegava em casa e foi atingido pelos tiros.

Atualmente, o ex-policial civil era estudante de Direito e recorria, em liberdade, de uma condenação de 12 anos de prisão pelo sequestro de um empresário, que ficou 29 dias em cativeiro, entre julho e agosto de 2011, em Itaquaquecetuba (Grande São Paulo).

Em maio de 2011, o então policial civil Jurandir Silva, do 41º DP (Parque São Lucas), foi apontado pela advogada Maria Odette de Moraes Haddad, à época defensora de presos como Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, e Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, como responsável por vender cópias de escutas telefônicas contra alguns de seus clientes, todos eles ligados ao grupo criminoso PCC.

Em um vídeo gravado dentro da Delegacia de Suzano (Grande São Paulo), a advogada afirmou a um grupo de policiais que sabia da existência de escutas telefônicas contra Gegê do Mangue e sua mulher porque havia comprado do policial Silva fitas cassete com as cópias de conversas telefônicas de seu cliente, que, mesmo preso, usava celular para fazer articulações.

O vídeo captado na Delegacia de Suzano foi gravado pelo também policial civil Augusto Peña. Ele e outros dois policiais civis eram os responsáveis pela investigação que requisitou à Justiça os grampos telefônicos contra Gegê do Mangue.

Durante aproximadamente 45 minutos, a advogada e Peña falam sobre os grampos telefônicos e sobre Jurandir Silva. No fim do vídeo, Peña diz para Maria Odette de Moraes Haddad que sabia da relação dela com o policial Jurandir.

Foi nesse momento que a advogada resolveu entregar as fitas compradas de Jurandir Silva e entrega-las para Peña. A advogada diz no vídeo que passaria a ficar na mira do PCC por dois motivos: seria suspeita de ligação com o policial Jurandir e também que os membros do PCC poderiam suspeitar que ela comprava as fitas com os grampos telefônicos por valores menores do que os informados à facção criminosa.

Jurandir Silva era considerado pelo Ministério Público Estadual como uma das principais testemunhas do sequestro cometido por Peña contra Rodrigo Olivatto de Morais, enteado de Marcola, do PCC.

Em abril de 2008, Peña foi preso por ter exigido R$ 300 mil para não prender Rodrigo Olivatto. O resgate foi pago, segundo a Promotoria, por membros do PCC.

Além de Peña, outro policial civil, José Roberto de Araújo, à época do Deic (Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado), e Carlos Roberto dos Santos, “ganso” (informante, na gíria policial) foram presos pelo seqüestro de Rodrigo Olivatto, filho de Ana Maria Olivatto Herbas Camacho, 45, advogada e ex-mulher de Marcola, assassinada em outubro de 2002.

O ganso Santos, de acordo com a Promotoria, foi o responsável por repassar informações de Rodrigo Olivatto para que os dois policiais civis conseguissem mantê-lo em cativeiro (na Delegacia de Suzano) por aproximadamente 48 horas.

 Crimes de maio de 2006

Em abril de 2006, integrantes do PCC armaram um ataque contra a delegacia de Suzano porque, segundo apuração do Ministério Público, Peña não teria cumprido um acordo com membros do grupo criminoso para libertar Gilmar de Holanda Lisboa, o Pebinha, acusado de ser traficante em Diadema (ABC).

Como os criminosos teriam pago R$ 40 mil para Pebinha não ficar preso em Suzano, o PCC resolveu atacar a delegacia da cidade. Sete pessoas morreram em 7 de abril. Quatro delas supostamente eram do PCC, dois eram policiais e um era amigo dos investigadores.

Pouco mais de um mês após esse episódio, o PCC começou os ataques em massa contra as forças de segurança do Estado.

Era 12 de maio quando Marcola, na sala do então diretor do Deic Godofredo Bittencourt, disse que parte da violência que o Estado enfrentaria se devia às atitudes de policiais como Peña.

Somente depois se soube o que o presidiário Marcola quis dizer. Entre 12 e 20 de maio de 2006, 564 pessoas foram pessoas foram mortas durante a maior crise na segurança pública enfrentada pelo Estado de São Paulo. Durante os chamados “Crimes de Maio”, foram 505 civis e 59 agentes de segurança pública (policiais civis e militares, guardas municipais e agentes penitenciários mortos).

Advogada condenada

Em março de 2009, a advogada Maria Odete de Moraes Haddad foi presa sob suspeita de associação para o tráfico e formação de quadrilha e acabou condenada, em novembro de 2010, a sete anos e seis meses de prisão.

De acordo com o Ministério Público Estadual, Maria Odete integrava a organização criminosa comandada pelo sequestrador Wanderson Nilton Paula Lima, o Andinho, ex-membro do PCC.

Escutas telefônicas apontaram que Maria Odete havia recebido a missão de descobrir o endereço de uma jornalista da RAC (Rede de Comunicação Anhanguera) para que os integrantes da quadrilha a matassem.

O motivo do atentado foi o descontentamento com uma reportagem que a jornalista fez para o jornal “Correio Popular” sobre o casamento de Andinho. Nela, a jornalista fez um perfil de Andinho desde a infância e isso causou sua fúria.

Dois meses antes da prisão de Maria Odete, criminosos ligados a Andinho jogaram duas granadas _nenhuma delas explodiu_ contra a sede da Rede Anhanguera, em Campinas (interior de SP). (Fonte: R7 / Foto:Divulgação)

Presidiário com tornozeleira eletrônica é morto a tiros em Petrolina, PE

Um homem de 29 anos que cumpria prisão em regime semiaberto foi assassinado na segunda-feira (22) no bairro Quati II, em Petrolina (PE). Segundo informações do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), não há informação sobre a identidade dos autores do assassinato.

Jeanderson Custódio Rodrigues foi alvejado por seis disparos de arma de fogo e morreu no local. O presidiário usava tornozeleira e estava em prisão domiciliar. Ele cumpria pena por tráfico de drogas, mas o 5º BPM não sabe se existe relação com o crime. (Informações da Ascom PMPE)

Mãe é presa após inventar sumiço do filho e esconder corpo em panela de pressão na Bahia

A história sobre o desaparecimento de um bebê em Porto Seguro, no extremo sul da Bahia, foi desvendada na segunda-feira (22). Uma mulher que havia denunciado o sequestro do próprio filho no último sábado (20) foi presa após confessar ter escondido o corpo da criança de dois meses dentro de uma panela de pressão. De acordo com depoimento de Renata Cerqueira, o bebê morreu afogado em uma banheira.

A criança foi encontrada morta depois de dois dias de buscas. Segundo a polícia, o corpo do bebê estava em estado avançado de composição. Ainda de acordo com a polícia, quando denunciou o falso sequestro do filho, Renata contou que a criança estava na sala da residência quando foi levada e que não percebeu devido ao barulho do som na casa dos vizinhos. Segundo a mãe, ela estava nos fundos da residência quando tudo aconteceu. (Informações da TV Santa Cruz)

Mais estabelecimentos comerciais assaltados em Crato e Juazeiro do Norte, CE

Uma loja de aparelhos celulares de Crato e outra de peças íntimas em Juazeiro do Norte foram “visitadas” pelos ladrões nesta terça-feira e num curto intervalo de uma hora. Por volta do meio dia a loja da OI foi novamente assaltada na Rua Santos Dumont no centro de Crato. Dois homens ali chegaram armados e anunciando um assalto quando levaram 32 aparelhos celulares.

Cerca de uma hora depois foi a vez da Loja Pura Intimidade que funciona na Rua São Paulo em Juazeiro. Os assaltantes chegaram a apontar armas na direção da cabeça de funcionários de onde levaram dinheiro e algumas mercadorias sem qualquer receio em mostrar a cara. As diligencias da polícia foram em vão já que não ocorreram prisões de acusados em ambos os casos.

Entretanto, por volta das 9 horas um jovem foi preso ao tentar tomar o aparelho celular de uma garota na Rua São Paulo, imediações do Colégio Batista. Uma pessoa notou que se tratava de uma arma de brinquedo e o rapaz terminou detido por populares e entregue à polícia. O mesmo estava de bicicleta e foi escoltado pelos PMs até a Delegacia Regional de Polícia Civil pedalando o seu próprio transporte.

Já às 20h30min de ontem, no Sitio Picadas na zona rural de Granjeiro, o estudante João Moreira Neto Souza, de 21 anos, estava sentando na calçada quando foi surpreendido com a chegada de dois homens numa moto Honda Titan de cor prata usando capacetes. A dupla estava armada com revólveres e anunciou o assalto tomando-lhe o aparelho celular quando fugiram efetuando disparos para o alto.

Antes, na localidade conhecida como Cidade de Deus (São José) em Juazeiro, militares do Serviço de Inteligência notaram que dois jovens tinham adotado um comportamento suspeito quando trafegavam numa moto Honda Bros 160 de cor preta e placa PNM-0309, inscrição do Ceará. De imediato, passaram a persegui-los quando estes abandonaram o veículo e se embrenharam num matagal. Segundo a polícia, a moto apresentava queixa de roubo.(Do Parceiro Site Miseria )

Colisão entre ônibus da Pernambucana e moto em Ouricuri, PE

Na última quinta-feira, (20), uma colisão frontal entre um ônibus da empresa Pernambucana e uma motocicleta .

Na colisão, o motociclista Francisco José Alves da Silva, agricultor, foi socorrido por uma guarnição do Corpo de Bombeiros ao Hospital Regional Fernando Bezerra para atendimento médico, porém segundo um graduado da corporação, o Sargento Joalino, seu estado de saúde não seria grave.

Na-colisão-o-motociclista-Francisco-José-Alves-da-Silva-agricultor-foi-socorrido-por-uma-guarnição-do-Corpo-de-Bombeiros-ao-Hospital-Regional-Fernando-Bezerra-para

Pente-fino do governo descobre fraude no Bolsa Família

Os primeiros resultados do pente-fino no programa Bolsa Família feito pelo governo interino de Michel Temer levantaram indícios de fraudes cometidas por cadastradores do programa, que estão associadas a desembolsos no valor de cerca de R$ 100 milhões. Os cadastradores são, geralmente, funcionários das prefeituras responsáveis por colocar os dados dos beneficiários no sistema.

Num dos casos que mais chamou a atenção, um cadastrador conseguiu a proeza de fazer a adesão de cerca de 2,4 mil famílias beneficiárias em um único dia. A média diária, por funcionário, é de 15 inclusões no programa. Há um longo questionário para ser registrado no sistema a cada cadastramento de beneficiário. Em outro caso, um mesmo colaborador cadastrou famílias residentes em 25 diferentes estados. Por mais que beneficiários possam se mudar, sem interrupção do recebimento do recurso, o fato suscitou a suspeita de fraude.

O governo não descarta a possibilidade de ter sido feito um mutirão, com dezenas de colaboradores, para se chegar à marca de quase 2,5 mil inclusões por dia. Apesar disso, o episódio é inédito na história do programa e não condiz com boas práticas de gestão.

Um outro problema levantado no pente-fino é a inscrição de dois cadastradores — um homem e uma mulher — com um mesmo CPF. Para o secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, Alberto Beltrame, os indícios de fraude apontam qual deve ser o foco da revisão no Bolsa Família:

— Não queremos identificar o beneficiário que, por algum motivo, subdeclarou a renda, mas sim verificar onde estão os grandes furos da gestão, que resultam, em última instância, nos recebimentos indevidos. Estamos levantando dados prévios que vão ser mais bem apurados. Já são R$ 100 milhões de pagamentos vinculados a essas coisas estranhas.

BENEFICIÁRIO LARANJA: O pente-fino, motivado por uma denúncia feita ao governo, é focado na gestão — e menos a busca de beneficiários que mentem a renda para receber o Bolsa Família. Por causa de reportagens recentes sobre fraudes, um morador da cidade de Santo Cristo (RS) verificou, por meio da lista pública do programa, que seu nome constava como beneficiário.

No cadastro, seus dados estavam corretos, menos o rendimento. Ele aparecia, no sistema do Bolsa Família, que é acessível ao público, sem qualquer fonte de sustento, o que não condiz com a realidade. Ao verificar o registro, os funcionários do ministério confirmaram que havia sido emitido um cartão do Bolsa Família no nome do gaúcho, e que dois saques já tinham sido feitos. Depois disso, como não houve mais retiradas, a conta foi bloqueada, embora tenha continuado a receber os depósitos mensais. ( Do Jornal Extra)

Polícias se unem contra arbitrariedades cometidas pelo Corregedor Geral da SDS, Servilho Paiva

O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL-PE) e a Associação Pernambucana de Cabos e Soldados (ACS-PE) vão acionar o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) contra as inúmeras arbitrariedades cometidas pelo Corregedor Geral da SDS, Servilho Paiva, no uso de suas atribuições. 

Nesta quarta-feira dia (24), a partir das 13h, representantes das duas entidades irão à Sede do MPPE, localizada na Avenida Visconde de Suassuna – 99, quando o SINPOL vai apresentar um dossiê relatando diversos abusos do Corregedor Geral.