“A mudança em Pernambuco tem que começar em Ipojuca”, afirma Armando, na convenção do PTB

“A mudança de Pernambuco tem que começar em Ipojuca”. Foi com essa frase que o senador Armando Monteiro (PTB) convocou a militância, neste domingo (5), para ganhar nas ruas de Ipojuca e garantir a vitória de Célia Sales (PTB) e Patrícia de Leno (PTN), candidatas a prefeita e vice, respectivamente, no próximo dia 2 de abril. Uma grande convenção do PTB, realizada na Faculdade José Lacerda Filho, no Centro da cidade, oficializou os nomes das postulantes da coligação “A Mudança Começa Agora”. A chapa tem o apoio de 18 partidos.
“Essa é a hora de construir uma vitória maiúscula, que corresponda ao amadurecimento do povo de Ipojuca, que, mais do que nunca, sabe qual é o caminho. O Estado está de olho em Ipojuca porque Pernambuco poderá mudar em 2018 se Ipojuca mudar em 2017”, afirmou Armando. O senador destacou que a vitória de Célia Sales vai inaugurar um novo modelo de gestão, comprometida com os interesses populares. “E esse modelo nasce comprometido em aplicar bem os recursos públicos, com zelo, com austeridade e voltando as nossas ações e atenção para a população mais carente”, disse o líder petebista.
Armando garantiu que o seu gabinete no Senado estará de portas abertas para contribuir e trabalhar junto com Célia em benefício da população e do desenvolvimento do município. “No Senado, Ipojuca vai ter um escritório”. O senador grifou ainda que a candidata a prefeita está preparada para a disputa e tem condições de celebrar uma grande vitória em abril. “Célia, você está a altura do desafio. Vamos à vitória”, convocou o petebista.
Em seu discurso, Célia Sales afirmou que está preparada para transformar Ipojuca numa cidade modelo. A candidata a prefeita destacou uma série de ações que pretende implantar em sua gestão e disse que vai governar o município contando com a participação do povo. “Nós vamos exigir que Ipojuca avance com muita rapidez porque estamos no atraso há muitos anos. E eu tenho pressa. Eu tenho pressa de transformar essa cidade em uma cidade modelo. Eu serei a melhor prefeita que Ipojuca já teve”, garantiu a petebista.
Diversas lideranças estaduais prestigiaram a convenção de Célia Sales e Patrícia de Leno, dentre elas o ex-ministro Armando Monteiro Filho. Também participaram do ato os deputados federais Ricardo Teobaldo (PTN), Silvio Costa (PTdoB) e Betinho Gomes (PSDB); os deputados estaduais Silvio Costa Filho (PRB), Bispo Ossésio (PRB), Joel da Harpa (PTN), Everaldo Cabral (PP) e Dr. Valdir (PP); a vereadora do Recife, Marília Arraes (PT); o presidente da CUT-PE, Carlos Veras; o presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM/CUT), Paulo Cayres; além do ex-deputado federal, Marcos Queiroz.

Eunício Oliveira é eleito presidente do Senado

O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) foi eleito presidente do Senado nesta quarta-feira. Apoiado tanto por senadores aliados ao governo do presidente Michel Temer quanto por alguns oposicionistas, incluindo petistas, o peemedebista recebeu 61 votos e sucederá a Renan Calheiros (PMDB-AL) no comando da Casa. Seu mandato vai até fevereiro de 2019. Único concorrente de Eunício, o senador José Medeiros (PSD-MT) foi votado por 10 senadores. Outros 10 parlamentares ainda votaram em branco.

Em seu discurso no plenário do Senado, o peemedebista disse esperar que a Casa “não perca a corrente contemporânea na luta contra a corrupção” e prometeu ser “duro e firme quando um Poder parecer se levantar contra outro Poder”.

O peemedebista também tocou em uma pauta sensível ao governo de Michel Temer em tramitação no Congresso: a reforma da Previdência. “A Previdência, todos sabemos, está quebrada, e esta casa estará diante da tarefa irrecorrível de reformar o sistema previdenciário para salvá-lo. É uma urgência que o processo histórico propõe e impõe”, disse Eunício Oliveira.

Após a confirmação de sua eleição, Eunício substitui Renan Calheiros na cadeira de presidente do Senado para conduzir a eleição da mesa diretora da Casa, que deve respeitar a proporcionalidade ao tamanho das bancadas.

Há acordo para a ocupação da 1ª Vice-Presidência pelo senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), da 2ª Vice-Presidência por João Alberto Souza (PMDB-MA) e a 1ª Secretaria por José Pimentel (PT-CE). Ainda há impasse sobre quais parlamentares devem ocupar a segunda, a terceira e quarta secretarias.

Presidente no primeiro mandato

Eunício Lopes de Oliveira, de 64 anos, está no primeiro mandato no Senado. Antes de chegar à Casa que agora preside, foi deputado federal por três mandatos e ministro da Comunicação entre 2004 e 2005, no primeiro governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Apelidado como “Índio” nas planilhas de distribuição de propinas e caixa dois da Odebrecht, Eunício foi citado na delação premiada empreiteira, firmada na Operação Lava Jato e homologada pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, na última segunda-feira.

Segundo o delator Cláudio Melo Filho, ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht, o novo presidente do Senado recebeu 2,1 milhões de reais, intermediados por seu sobrinho Ricardo Lopes Augusto, em troca de benefícios à empreiteira na MP 613, que tratava de questões tributárias da indústria petroquímica. “O valor foi dividido em duas parcelas, sendo uma paga em Brasília e outra em São Paulo. Os pagamentos foram realizados entre outubro de 2013 e janeiro de 2014”, relata Melo Filho em seu acordo.

Além da acusação do ex-executivo da Odebrecht, outras frentes das investigações da Lava Jato podem atingir Eunício. Conforme o site de VEJA revelou em novembro de 2016, documentos sigilosos da Procuradoria-Geral da República revelam que foram coletados “diversos elementos de prova da atuação de Milton de Oliveira Lyra Filho, diretamente ou por meio de pessoas jurídicas, como intermediário de propina e lavagem de dinheiro para senadores do PMDB, nomeadamente Eunício Oliveira, Renan Calheiros,  Romero Jucá, Valdir Raupp e Edison Lobão”.

De acordo com procuradores da Lava Jato, há indícios de que os senadores do PMDB tenham se beneficiado de desvios de dinheiro da construção da usina hidrelétrica de Belo Monte e de fraudes nos investimentos realizados pelo Postalis, fundo de pensão dos trabalhadores dos Correios.

Em entrevista à atual edição de VEJA, prestes a chegar à presidência do Senado, Eunício Oliveira garantiu “com muita tranquilidade”: “sei o que fiz e sei o que não fiz durante toda a minha vida. Sei o que fiz e o que não fiz também na vida pública. Portanto, estou absolutamente tranquilo, assim como devem ficar tranquilos os meus pares, porque citações sem provas são apenas citações. Estas mãos nunca receberam dinheiro que não fosse correto, honesto, legítimo e tirado do próprio suor do rosto”.

Vereador João Erlan participa de reunião com prefeito e pastores

O vereador João Erlan participou de reunião na manhã desta quarta-feira, 01, no gabinete do prefeito Raimundo Pimentel. A pauta da reunião era esclarecer os boatos de que o dia do evangélico não seria mais comemorado em Araripina.

A reunião com o prefeito e pastores foi realizada graças ao pedido do vereador João Erlan, que se comprometeu em sentar com os representantes das igrejas e com o gestor logo após saber da polêmica envolvendo o dia do evangélico. João, entrou em contato com o pastor Sandro Ferreira da igreja a qual ele frequenta, A Luz da Verdade, que logo após comunicou os demais representantes da comunidade evangélica de Araripina para essa reunião com o prefeito Raimundo Pimentel.

Segundo João Erlan a reunião foi bastante produtiva, pois o prefeito Raimundo Pimentel se comprometeu em dar apoio aos eventos que serão realizados no dia 31 de outubro e que será decretado ponto facultativo na cidade.

Na reunião estavam os pastores; Sandro da A Luz da Verdade; Pastor Jailton Batista de Rancharia; Pastor Hélio Primeira Batista; Pastor Irismar Batista do Caminho; Pastor Irenildo  Assembleia de Deus; Pastor Valmir Assembleia de Deus; Diácono Aires Nova Vida; outros Pastores justificaram à ausência.

 

 

Médico Aluízio Coelho fala sobre a polêmica do dia do Evangélico em Araripina

O médico Aluízio Coelho (PP), se pronunciou na tarde de hoje terça-feira, 31, sobre um assunto que virou polêmica nas redes sociais e em alguns blogs, o dia do Evangélico. Aluízio é Evangélico frequentador da Igreja Batista do Caminhos em Araripina.

Veja

“Boa noite. O dia do evangélico é celebrado em diversas datas diferentes no Brasil. Este dia visa o incentivo da espiritualidade e da fé religiosa promovida pela doutrina cristã. Podemos também, promover o turismo com eventos gaspeeis e, acima de tudo, evangelizar.

Nosso município passa por gravíssimos problemas (atraso na folha salarial, saúde necessitando de vários ajustes, infraestrutura caótica, falta de segurança….). Acabar com o feriado em comemoração ao dia do evangélico ,não irá contribuir para solucionar as adversidades de ARARIPINA”, Aluízio Coelho.

A postagem do médico Aluízio Coelho, mostra que ainda existe os seus apaixonados “Aluizinhos”, seguidos dos velhos e conhecidos “Xandistas”, que tentam a qualquer custo fazer polêmica. O coro do comentário do médico foi seguido por aqueles que sempre se prestam a ridicularizar qualquer coisa que tem a ver com “ordem e progresso”.

Os comentários dos espectadores na postagem de Aluízio, alguns são claros e óbvios de cores partidárias, outros são neutros e dentro do campo legal de como deveria levado a sério o estado laico.

Observe o comentário de um jovem na postagem do médico:

“Na verdade nem podia existir nenhum feriado dedicado a nenhuma religião já que o estado é laico. O Brasileiro precisa é de emprego, já temos feriados demais, temos que acabar com alguns feriados que já existem”.

Entenda o caso

A Lei Federal nº 9.093 de 12 de setembro de 1995 dispõe sobre os feriados nacionais http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9093.htm e no seu artigo 2º destaca:

São feriados religiosos os dias de guarda, declarados em lei municipal, de acordo com a tradição local e em número não superior a quatro, neste incluída a Sexta-Feira da Paixão.

Então, de acordo com a Lei, os municípios não podem ter mais que quatro feriados municipais, incluindo a Sexta-feira da Paixão.

Na cidade de Araripina os feriados instituídos por Lei de acordo com o Art. 193 da Lei Orgânica de Araripina são:

11 de setembro – Emancipação Política

08 de dezembro – Padroeira Nossa Senhora da Conceição

24 de junho – São João

Todos os anos o ex-prefeito baixavam um decreto municipal decretando feriado no dia 29 de outubro, o que possivelmente irá acontecer também na gestão de Pimentel.

Gestão Raimundo Pimentel – 2017

 

Gestão Arraes – 2013, 2014, 2015 e 2016

A “imprensa” que estava de olhos fechados para todos os desmandos que acontecia na gestão Arraes, agora abriu os olhos. O que aconteceu?

Todos nós araripinenses somos conhecedores que em oito anos o município de Araripina parou no tempo. Foram três anos do ex-prefeito Lula Sampaio e cinco anos do ex-prefeito Alexandre Arraes.

O governo de Lula podemos dizer que foi um desastre administrativo, acompanhado de perseguição política do ex-governador Eduardo Campos (em memória), que arrancou Lula da cadeira para colocar o seu “primo” Alexandre. No entanto, mal sabia Campos, ou sabia, sei lá, que Arraes iria ser um dos piores gestores da história de Araripina, vale salientar, que esse título foi concedido ao ex-prefeito Alexandre pelo povo, não sou eu que estou atestando isso.

Então, no meio de tudo isso, que eles chamavam de gestão, tinha a “imprensa” […]

Essa imprensa que acompanhava o governo Arraes, era uma que não estava a serviço da informação e sim do prefeito. Foram muitos os fatos, acontecimentos,  desmandos, falta de compromisso com o povo, irresponsabilidade com o que é público, tudo isso a gestão Arraes fez, mas nada disso foi transformado em notícias por sua imprensa. Sabe por quê? Por que são poucos os que são comprometidos com a verdadeira notícia. Eles não se preocupam com à cidade, com o povo, com o futuro dos seus filhos e netos que vão morar neste município. Eles apenas se preocupam com o bolso, como agradar o cara que está sentado na cadeira de prefeito e o povo, que se dane!

Chegou 2017, uma nova gestão, um novo prefeito e essa imprensa que antes era defensora do ex-prefeito Arraes e fechava os olhos para todos os seus problemas administrativos, está de olhos bem abertos. Existiam programas de rádios que o ouvinte ligava e queria reclamar ou denunciar, mas era tirado ar, não era permitido falar do gestor, pois ele era quem pagava o salário do Locutor, do Gato, Periquito e do Papagaio da rádio. No entanto, hoje é tudo ao contrário, até programa já abriram para o povo falar.

Blogs que parecia o site da prefeitura ou a FanPage do prefeito, só postavam o que era de interesse da gestão Arraes. Quando à oposição falava mal da gestão, era uma enxurrada de críticas. Certa vez, um profissional de imprensa em uma matéria no seu blog chamou os quatro vereadores de oposição na época de “pau mandatos”, enquanto isso à cidade parecia que estar em guerra; ruas com esgotos a céu aberto, buracos por toda parte, salários de servidores atrasados, Arariprev com dívidas absurdas, inúmeras obras, entre creches, escolas, quadras poliesportivas, postos de saúde, UPA, paradas inacabadas, e ainda foram todas obras que passaram por uma forte operação da PF denominada ‘Paradise’, escolas municipais com sua infraestrutura precária, e cenas de total abandono do poder municipal. Alunos com ano letivo comprometidos, falta de pagamento de ônibus, falta de pagamento a servidores.

São João, um absurdo de dinheiro gasto, quase 8 milhões. Farra com o dinheiro público, ostentação em alto nível, filhos do prefeito viajavam para o exterior para curtir shows de GD, enquanto o povo sofria, eles gastavam.

O Bode, até esse eles comeram, não restou ao menos o couro para fazer se quer uma bolsa de 15 mil reais. O que restou foi uma dívida de 260 mil e uma penalidade imposta pela federação Pernambucana de Futebol, que estabeleceu ao clube ficar por dois anos suspenso do campeonato. Até desviar (roubar) energia pública, pois é, foram capazes de tal proeza.

Tudo isso aconteceu na gestão Arraes, aí você me pergunta, onde estava à imprensa que hoje está denunciando, lixo pela cidade, esgotos, e cobrando pagamentos de servidores, e se queixando até da limpeza do Canal São Pedro?

Esses estavam escondidos, só agora abriram os olhos, e pelo que percebo, aos olhos dessa imprensa, Araripina antes de 1° de janeiro de 2017 era uma cidade maravilhosa.

Cheguei a uma conclusão, que aquela frase que diz que “Pimenta nos olhos dos outros é refresco”, na verdade não é refresco. Em Araripina podemos aplica-la de outra forma “Pimenta nos olhos dos outros é colírio”, pois vejam o tanto de gente que voltou a enxergar.

Caros amigos, obrigado pela leitura desse artigo, que surge mais como um desabafo, pois fico triste em me deparar com tanta gente sem escrúpulos e descomprometida com a notícia.

Em nome da equipe que faz o Araripina em Foco, reitero aqui o compromisso desse site com a notícia e informação produzida e repassada por nós, sem bandeiras partidárias.

Damião Sousa Farias

O Pacto pela Vida votou à estaca zero. E, diferente do prega o Governo do Estado, a crise econômica que […]

Ao analisar recentes declarações do sociólogo José Luiz Ratton sobre a derrocada do programa estadual Pacto Pela Vida, o senador Armando Monteiro (PTB) aponta que o principal problema do programa é a ausência do governador na gestão da segurança pública. O líder petebista destaca que a avaliação de Ratton ratifica com o sentimento da população pernambucana, que, nos últimos anos, vem sentindo cada vez mais a insegurança bater à porta e teme sair às ruas, devido ao recrudescimento dos índices de homicídios em todas as regiões do Estado.
“Um dos principais idealizadores do Pacto pela Vida, José Luiz Ratton, confirma o que todo pernambucano já vem sentindo há muito tempo. O desmonte do programa Pacto Pela Vida não é causado pela crise econômica, como afirma o Governo de Pernambuco: o principal problema é a ausência do governador na gestão da segurança pública”, afirma Armando Monteiro, fazendo referência a declarações concedidas por Luiz Ratton ao jornal Valor Econômico desta quarta-feira (25).
Ao Valor, o sociólogo afirma que o problema do Pacto Pela Vida “é anterior à crise econômica” que abateu Pernambuco, conforme alega o Governo do Estado, ao justificar a derrocada do programa de segurança pública. Ratton foi um dos idealizadores do Pacto e foi assessor especial de segurança durante os anos de 2007 a 2012.
Segundo o senador, ao se analisar o balanço da criminalidade em Pernambuco nos últimos três anos, fica claro o completo retrocesso do programa de segurança pública, com aumento de 44% no número de homicídios e a volta aos patamares do ano de 2007, quando o programa foi implantado. “No Nordeste, estados como Alagoas, Ceará, Sergipe e Rio Grande do Norte tiveram melhor desempenho em 2015. A derrocada do Pacto pela Vida chama a atenção do Brasil. O que seria esperança em termos de modelo se transforma numa desilusão”, lamenta Armando Monteiro.
O senador critica ainda o fato de o investimento em segurança este ano, considerando a inflação, ser proporcionalmente menor do que o ano passado. “Em Pernambuco, o ajuste fiscal tem sido feito com corte em áreas essenciais, e com sacrifício da população”, conclui.

Mentor do Pacto pela Vida atesta morte do programa

O Pacto pela Vida votou à estaca zero. E, diferente do prega o Governo do Estado, a crise econômica que assola o País não é o principal culpado. A afirmação, do sociólogo José Luiz Ratton, mentor do programa, em entrevista ao jornal Valor Econômico desta quarta-feira (25), põe em xeque o principal argumento do Governo de Pernambuco em relação ao crescimento da violência no Estado, que voltou aos patamares do início do programa de redução da criminalidade.

“Infelizmente, como destaca o professor Ratton, Pernambuco voltou a figurar entre os dez Estados mais violentos do País, de onde tinha saído em 2013. Em 2016, tivemos o pior resultado no número de homicídios desde 2008, registrando mais de 4 mil assassinatos”, destacou o deputado Silvio Costa Filho (PRB), líder da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

Entre os principais motivos da falência do Pacto, Ratton destaca a ausência do governador das ações do programa como decisivo, seguido pela falta de investimentos em programas de prevenção além da não realização de reformas no sistema de medidas sócio-educativas, como prevista inicialmente. “O próprio governador Paulo Câmara declarou, que só agora passou a participar das reuniões semanais do Pacto e que, até então, só comparecia a um encontro por mês”, lembra o parlamentar.

Silvio destaca que no Nordeste estados como Alagoas, Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte conseguiram reduzir as taxas de homicídios, apesar de enfrentarem os efeitos da mesma crise econômica. “O que falta é o governador puxar para si a responsabilidade e comandar uma ampla reformulação do programa, mas infelizmente, ele optou por terceirizar essa responsabilidade aos secretários da Defesa Social, Angelo Gioia, e do Planejamento, Márcio Stefani”, lamentou o deputado, acrescentando que os parlamentares da Bancada de Oposição estão à disposição do Estado e da sociedade pernambucana para contribuir para a reformulação do Pacto pela Vida.

 

Janot pede urgência em homologação das delações da Odebrecht

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, formalizou ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedido de urgência na análise e homologação das delações da Odebrecht, colhidas no âmbito da Operação Lava Jato. Nesta segunda-feira, o procurador esteve reunido com a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia. Oficialmente, o encontro foi para que Janot prestasse condolências pela morte do ministro Teori Zavascki.

Janot tem demonstrado preocupação, nos bastidores, com o futuro da operação no tribunal após a morte do ministro Teori, com quem mantinha boa relação. Caberá a Cármen Lúcia decidir qual critério será utilizado para a redistribuição dos casos relativos à operação e, portanto, definir quem será o novo magistrado responsável por cuidar da Lava Jato no STF.

Na segunda, a presidente autorizou o andamento da análise da delação de 77 executivos e funcionários da Odebrecht pela equipe de juízes auxiliares de Teori. Com isso, serão realizadas as audiências com os executivos da empreiteira para confirmar se os delatores prestaram depoimento de forma espontânea. Antes de tomar a decisão, Cármen ouviu a opinião de colegas da corte, que a apoiaram.

Na prática, o pedido de Janot provoca a presidente do STF a se manifestar sobre a condução da Lava Jato. Isso porque a avaliação de ministros ouvidos reservadamente é que Cármen Lúcia pode dar andamento a trâmites que já vinham sendo feitos por Teori, mas caberá ao novo relator a homologação dos acordos.

Mesmo com a morte do ministro, os magistrados auxiliares seguem no gabinete até que o sucessor de Teori assuma e decida se vai manter a equipe. De acordo com o cronograma anterior que vinha sendo cumprido pelo gabinete, os juízes devem viajar para capitais onde vão ouvir os colaboradores.

(Com Estadão Conteúdo)

Vice-prefeito Bringel Filho, diz que o prefeito vai pagar o mês de janeiro na sexta-feira dia 27, e que não houve protesto.

Em contato com nossa redação, o vice-prefeito de Araripina, Bringel Filho (PSDB), informou que não houve protesto, os servidores foram até a prefeitura para uma reunião com o prefeito Raimundo Pimentel. Na reunião ficou combinado que na próxima sexta-feira, dia 27, será pago o mês de janeiro.

Ele ainda disse que não ficou nenhum dinheiro na conta da prefeitura para pagar os servidores, o único dinheiro que tinha era o da UPA, cerca de 1 milhão e 500 mil reais, mas que é um dinheiro para a conclusão da obra.

ACS,s Fazem protesto em frente à Prefeitura de Araripina

Na manhã dessa terça-feira, 24, a prefeitura de Araripina, teve o seu primeiro manifesto de 2017. Os servidores protestam para receberem o pagamento do mês de dezembro de 2016, só que essa dívida foi deixada pelo gestor anterior.

A pouco entramos em contato com o Presidente do SIMA – Sindicato dos Servidores Municipais de Araripina, ele informou que estava em reunião com os ACS,s, e que assim que terminasse, iria entrar em contato com a nossa redação para passar todas as informações.

O vice-prefeito Bringel Filho também se manifestou em relação a esse protesto e disse que teve os ACS,s estiveram reunidos com o prefeito Raimundo Pimentel, e o mesmo se comprometeu de pagar o mês de janeiro.