Lua Negra acontece nesta sexta. Conheça sua verdadeira história

A Lua Negra, “fenômeno” que acontece na noite desta sexta-feira (30), está enlouquecendo a internet. O motivo, no entanto, não passa de uma coincidência. “Enquanto a Lua Azul é a segunda Lua cheia de um mês, a Lua Negra é o nome dado à segunda Lua nova no mesmo mês. É apenas uma coincidência de calendário; nada muda no céu”, afirma Gustavo Rojas, astrônomo e físico da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). “É importante lembrar que não, em nenhuma das ocasiões, a Lua muda de cor”, afirma o astrônomo.

A última vez que a Lua Negra aconteceu foi em março de 2014 e a próxima ocorrência está prevista apenas para agosto de 2019. No Brasil, o “fenômeno” acontecerá às 21h12, mas não poderá ser visto no céu: assim como qualquer Lua nova, sua face iluminada não estará voltada para a Terra.

Leia também:
Prepare-se para a superlua deste sábado
Como a Lua surgiu? Novo estudo pode acabar com o mistério

De acordo com Rojas, mesmo que a Lua Negra não tenha, exatamente, nada de peculiar, ela atrai muita atenção de pessoas que seguem a religião wicca, realizam rituais ou acreditam na influência da Lua – graças ao nome que é dado a ela. Do ponto de vista astronômico, no entanto, o evento não passa de uma Lua nova comum e não é considerado tão raro – já que acontece a cada dois anos, aproximadamente. Uma dica é aproveitar para observar os astros. “Assim como qualquer Lua nova, a Lua Negra não aparece no céu e isso facilita a observação de estrelas”, afirma Rojas.

Mas, o que essas luas têm de interessante? A história. O Farmer’s Almanac foi uma publicação centenária americana; nela, os escritores nomearam a terceira Lua cheia (de uma sequência de quatro em uma mesma estação) de Lua Azul. Esta foi a primeira denominação criada para a ocorrência de um tipo de lua. De acordo com Rojas, a partir desse almanaque as pessoas passaram a nomear a ocorrência de outras luas – e, assim, surgiu a Lua Negra.

A história da Lua Azul

“No século XIX, para contar os meses de uma estação e se preparar para a entrada da próxima, as pessoas utilizavam as Luas: como o ano possui quatro estações distintas e temos 12 meses, cada estação teria 3 meses. Para saber quando a estação iria mudar, eram contados os números de Luas cheias; a cada três Luas cheias, mudava a estação – e a terceira Lua, portanto, anunciava essa mudança”, explica Daniel Mello, astrônomo do Observatório do Valongo, da Universidade federal do rio de Janeiro (UFRJ).

O problema é que a contagem de períodos lunares é de 29 dias, enquanto nossos meses têm entre 30 e 31 dias. Isso fez com que, em determinadas estações, ao invés de três luas, quatro Luas cheias participassem de um ciclo – ou seja, a terceira lua não era exatamente a que anunciava a entrada da próxima estação. A essa lua específica (a terceira de uma sequência de quatro luas) foi dado o nome de Blue Moon. “No inglês antigo, o nome dado à Blue Moon não significava Lua Azul, mas sim Lua Traidora: justamente porque não anunciava o final de uma estação, mas ‘enganava’ as pessoas. A tradução original foi perdida com os aprimoramentos da língua e substituição do termo original por ‘blue’ (azul, em inglês). Assim, hoje a chamamos de Lua Azul”, disse Mello.

A partir de meados do século XX, um astrônomo amador confundiu a denominação original da Lua Azul e acabou por apelidar a segunda Lua cheia de um único mês de Lua Azul: isso fez com que, dentre as denominações, existissem dois “tipos” de Luas Azuis – a da denominação original, e a nova denominação astrônomo amador (mais utilizada por cientistas atualmente).

AF Entretenimento: William Bonner e Fátima não dividiam o mesmo quarto há dois anos

O fim do casamento de William Bonner e Fátima Bernardes pegou todo mundo de surpresa. Mas a crise no relacionamento dos jornalistas não é recente. Há pelo menos dois anos, os veteranos não dividiam o mesmo quarto.

Segundo o jornal “O Dia”, o editor-chefe do “Jornal Nacional” deixou a casa da família há uma semana e alugou um flat próximo à sede da de jornalismo da TV Globo, no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

O desgaste na relação teria se dado pelo jeito temperamental do âncora do noticiário. A boa fase profissional da apresentadora do “Encontro” também teria piorado esse cenário. Fátima e Bonner aproveitaram o intercâmbio dos filhos, que estão no Canadá, para tornar o rompimento público. A crise na relação abalou profundamente Vinícius, um dos trigêmeos do casal. A dupla só anunciou a separação para evitar que começassem a pipocar na imprensa boatos de traição.

 ( Com informações do MSN)

Petrolina mantém primeiro lugar na fruticultura do país, aponta IBGE

A cidade de Petrolina se manteve em primeiro lugar no ranking de produção de frutas no país, segundo a pesquisa ‘Produção Agrícola Municipal (PAM) – Culturas Temporárias e Permanentes’, divulgada hoje (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os números são referentes ao ano de 2015.

Com 2,8% da produção nacional e valor de R$ 749,6 milhões, o valor da produção aumentou 18% em 2015, e o município é o 28º no ranking nacional. De acordo com o IBGE, grande parte da produção da cidade é destinada à exportação.

O IBGE inclui na pesquisa a produção de 22 tipos de frutas. No total, a produção frutífera do País chegou a R$ 26,5 bilhões, com aumento de 3,4% em relação a 2014. O valor da produção nacional das frutíferas cresceu 3,4% em 2015 frente a 2014, atingindo 26,5 bilhões. Os principais produtos são a banana (21,9%), laranja (21,3%), uva (8,8%), abacaxi (8,4%), maçã (5,0%) e melancia (4,7%).

APENAS UM CANDIDATO COMPARECEU AO DEBATE DA FIEPE – UNIDADE REGIONAL DO ARARIPE

diálogo da indústria com os candidatos a prefeito de Araripina realizado nesta quarta-feira (21) no Auditório da FIEPE – Araripina tinha como principal intuito conhecer as propostas de ambos para o setor produtivo do Município.
Realizado pela Unidade Regional do Sertão do Araripe – FIEPE,  a programação iniciou as 14h30 com a fala do Gerente da Unidade, Josemberg Caetano Laurentino, que fez a leitura dos dois comunicados das assessorias de imprensa do candidato do Solidariedade Sebastião de Carvalho (Tião do Gesso) e de Aluízio Coelho do Partido Progressista e, ao mesmo tempo, lamentou as informações contidas nos referidos documentos que confirmavam a não participação dos mesmos no debate promovido pela instituição.

Para ele, aquele momento seria a oportunidade de saber as ideias propositivas para o setor da indústria em Araripina, principalmente neste período em que elas devem fluir para que saibamos quem estaria mais preparado para lidar com as adversidades econômicas que estamos vivenciando e quais as soluções poderiam ser tiradas da cartola.
O primeiro a ser sabatinado pelo mediador (a partir das 15h) seria o candidato Aluízio Coelho (PP) para responder cinco perguntas, e como ele não compareceu, os presentes assistiram uma apresentação sobre os trabalhos desenvolvidos e programados pela Unidade da FIEPE de Araripina até que o horário definido e concordado pelos três postulantes a prefeito, no caso às 16h, confirmasse a participação de Raimundo Pimentel, candidato do PSL. Acompanhado do candidato a vice-prefeito – Bringel Filho e da sua comitiva, Pimentel foi convidado a sentar à mesa para o início da sabatina. O Diretor Adjunto da Regional – Meton Carvalho, o mediador do debate, explicou os critérios adotados para a sabatina, que cada candidato (no caso, o candidato) teria 4 minutos para responder a cada questionamento e 10 minutos para as considerações finais. O Diretor-presidente da Regional – Francisco Alves fez o uso da palavra para fazer a abertura oficial do evento, e lembrou da importância das escolhas, do voto consciente, que é preciso eleger pessoas com ideias confiáveis, que pensam no bem comum.
O mediador fez a sabatina para o único candidato que compareceu ao debate, e elencou vários assuntos pertinentes aos problemas que afetam o município, entre eles:
– Pediu para que destacasse três ações que ele, se eleito, deseja implantar para incentivar e desenvolver a indústria do gesso;
– O que tem de proposta para ativar o Aterro Sanitário de Araripina?
– Quais Ações que visam atrair investimentos para as novas alternativas energéticas e onde será usada a receita de ISS?
– Aeroporto Regional: Qual seria a contrapartida do Município para a realização desse projeto?
– O que propõe para acabar com o trabalho infantil no município e o que tem de proposta para a inclusão do jovem no mercado de trabalho?

O candidato Pimentel do PSL respondeu aos questionamentos, ficando claro, uma lacuna deixada pela lamentável ausência dos seus dois oponentes, o que evidente, iria enriquecer ainda mais o debate, e depois fez suas considerações finais, afirmando o compromisso que tem com o fomento da indústria local, com as resoluções dos temas apontados e das expectativas que tem em colocar novamente Araripina na rota do crescimento e do desenvolvimento. Chamou a oportunidade de valiosa e disse estar preparado para ter os destinos de Araripina em suas mãos.

Ao final o candidato Pimentel (PSL) recebeu das mãos do Diretor-Presidente – Francisco Alves, o manual de propostas elaborado pela Unidade Regional da FIEPE, que ressaltou o compromisso da entidade em acompanhar e fazer as cobranças para que o prefeito eleito esteja realmente comprometido em fazer uma Araripina melhor para se viver. Lembrou que a apresentação das propostas será entregue aos candidatos que não compareceram ao evento.

Sensação térmica chega a 33 graus nesta quarta-feira em Araripina, PE

Em Araripina, Sertão do Araripe, o intenso calor que tem feito os Araripinenses sofrerem desde o início do mês e deve perdurar por mais tempo. Hoje os termômetros marcaram 33 graus com a mínima de 20º. 

catsghjgjgh

Até sábado (24), a cidade pode manter este índice de 33º, mas a sensação térmica deve chegar  a 36 graus com a mínima de 19 º. O clima pode mudar só na próxima semana, segundo a fonte Clima Tempo, e o calor deve diminuir um pouco. A previsão é de céu claro a parcialmente nublado. O mesmo acontece na próxima quarta-feira (28), que pode registrar pancadas de chuvas isoladas a partir do fim da tarde. Os termômetros devem ficar entre 19º e 30º.

Apostador de Petrolina leva mais de R$ 3,7 milhões em sorteio da Quina

O mais novo milionário da Quina é de Petrolina. O felizardo foi o único a acertar ontem (20) as cinco dezenas do prêmio: 04-10-15-34-76.

A Caixa Econômica Federal (CEF) pagará ao sortudo nada menos do que R$ 3.705.014,83. A quadra saiu para 97 bilhetes, cada um recebendo a quantia de R$ 4.496,83. O terno vai pagar R$ 86,85 para 7.552 apostas, e o duque R$ 2,08 para 172.784 apostas. Do Carlos Britto

Arqueólogos encontram esqueleto humano de 2 mil anos em naufrágio

Arqueólogos descobriram um esqueleto humano de 2 mil anos no mesmo naufrágio no Mediterrâneo de onde saiu a peça mais sofisticada de tecnologia que sobreviveu à Antiguidade – um mecanismo de relógio -, de acordo com um artigo publicado na segunda-feira (19) na revista científica “Nature”.

Se for possível obter o DNA a partir dos restos, encontrados em 31 de agosto perto da costa da ilha grega de Antikythera, este poderá revelar pistas sobre a identidade do esqueleto, segundo o artigo.

Os ossos surpreendentemente bem preservados – incluindo um crânio parcial, dois ossos do braço, várias costelas e dois fêmures – também poderão revelar segredos sobre o famoso navio mercante do século I a.C., que provavelmente naufragou durante uma tempestade.

O governo grego ainda tem que dar permissão para que seja feito o teste de DNA.

O esqueleto é um achado raro. Os corpos das vítimas de naufrágios são normalmente arrastados pelas águas ou comidos pelos peixes, e raramente permanecem conservados por décadas, muito menos séculos.

“Nós não sabemos de nada parecido com isso”, disse à “Nature” Brendan Foley, arqueólogo subaquático na Instituição Oceanográfica Woodshole, em Massachusetts, e codiretor da escavação.

Um primeiro olhar sugere que os restos mortais são de um homem jovem, de acordo com Hannes Schroeder, especialista em análise de DNA antigo do Museu de História Natural da Dinamarca.

“Eles não se parecem com ossos que têm 2 mil anos de idade”, disse à “Nature”.

Schroeder ficou especialmente satisfeito com a recuperação dos ossos petrosos – localizados atrás da orelha -, que tendem a conservar o DNA melhor do que outras partes do esqueleto ou dos dentes.

“Se há algum DNA, então, pelo que sabemos, ele vai estar lá”, disse à “Nature”.

A recuperação do DNA pode revelar a cor do cabelo e dos olhos, bem como a ascendência e a origem geográfica, acrescentou.

Naufrágio foi descoberto em 1900
O naufrágio, que fica a 50 metros de profundidade, foi descoberto por mergulhadores em 1900, e acredita-se que foi o primeiro a ser investigado por arqueólogos.

A principal descoberta foi o chamado Mecanismo de Antikythera, um dispositivo do segundo século antes de Cristo, que é às vezes chamado de o computador mais antigo do mundo.

O dispositivo altamente complexo é composto por cerca de 40 engrenagens de bronze e foi usado pelos gregos antigos para controlar os ciclos do sistema solar.

Levou outros 1.500 anos para que um relógio astronômico de sofisticação semelhante fosse construído na Europa.

O DNA mais antigo já recuperado de restos humanos modernos tem cerca de 45 mil anos de idade. (Do G1/ Foto: Divulgação)

AEDA promove Sarau Cultural no Memorial Histórico de Araripina com apresentação de artistas locais

A Autarquia Educacional do Araripe – AEDA promoveu na noite desta segunda-feira, 19, o I Sarau Cultural e Musical em frente ao Memorial Histórico de Araripina Ceci Alencar com a participação de artistas locais que abrilhantaram a noite e trouxeram alegria para todos que participaram.

Os universitários dos cursos da Faculdade de Formação de Professores de Araripina – FAFOPA, alunos da rede pública estadual de ensino e muitas pessoas que passavam pelo Memorial Histórico assistiram a apresentação do músico e poeta cordelista araripinense, Cacá Lopes – que há 14 anos não se apresentava na cidade. Cacá Lopes atualmente reside em São Paulo, onde desenvolve o projeto Música e Cordel nas Escolas pela Prefeitura de São Paulo.

Em versos de cordéis, música e muitas histórias, o araripinense contou os 30 anos de carreira desde quando iniciou em Araripina até as dificuldades iniciais na capital paulista. Com muita alegria e entusiasmo Cacá Lopes cantou cordéis que abordam o povo sertanejo, a matemática, o estrangeirismo e principalmente sua origem nordestina.
“Agradeço a oportunidade que a AEDA me concedeu de, após 14 anos, me apresentar em minha cidade natal. É uma alegria imensa cantar e tocar para meus conterrâneos, amigos de infância e pessoas que acompanharam o início da minha trajetória. Com muito orgulho levo o nome de Araripina em cada apresentação que faço ao longo destes 30 anos de carreira”, agradeceu Cacá Lopes.

O Sarau Cultural e Musical também teve apresentações do saxofonista Hely Alencar, dos músicos Toninho de Olinda e Elvis, dos poetas Carlos Paixão e Tony Aldair.

A diretora presidente da AEDA, Maria Ramos Muniz, agradeceu ao público e aos artistas que deram um verdadeiro show de cultura e amor à Araripina. Ela destacou o papel do Memorial Histórico de Araripina que além de resgatar a história do município, fomenta a cultura e os valores artísticos da cidade. “Hoje tivemos a felicidade de ver artistas de Araripina se apresentando para os nossos alunos. Um grande público veio prestigiar os talentos musicais e artísticos que através de uma iniciativa simples como esta, valoriza os nomes que fazem parte da nossa história cultural. Esse é o papel do Memorial Histórico”, comemorou.

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

Diretores da FIEPE, em Araripina, recebem visita do presidente do Crea-PE, Evandro Alencar

Os diretores da Unidade Regional Sertão do Araripe (URSA) da Federação da Indústria de Pernambuco – FIEPE receberam a visita institucional do Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco, Crea-PE, Evandro Alencar. O encontro aconteceu na sede da Unidade do Araripe, em Araripina, dia 19.

O diálogo institucional entre Francisco Alves, diretor da URSA, Meton Oliveira, diretor adjunto e Evandro Alencar do Crea-PE girou em torno das boas práticas que ambas as instituições promovem para fortalecer a cultura do associativismo nos seus segmentos de atuação.

O presidente do Crea-PE destacou exemplos que estão sendo implementados em sua administração que elevaram os índices de participação dos associados nas ações do Conselho. Evandro Alencar afirmou que o incentivo ao associativismo é importante para o surgimento de novas ideias e o livre debate em prol do desenvolvimento das instituições.

????????????????????????????????????

“Criamos ações como o Terça no Crea, o Crea itinerante e outras ferramentas que motivaram os associados a participarem das reuniões e levarem suas experiências dando amplo acesso ao debate em prol do profissional que compõe o Crea de Pernambuco”, destacou.

O diretor da Unidade Regional do Araripe, Francisco Alves agradeceu a visita que foi acompanhada por membros da  Associação de Engenheiros e Técnicos do Araripe – ASSENGEA e destacou a importância de parcerias e convênios que beneficiem os engenheiros que atuam na indústria Pernambucana.

“As duas instituições [FIEPE e Crea-PE] devem cooperar no sentido de trazer mais conscientização aos industriários e engenheiros que atuam na indústria, de modo que as empresas e sociedade sejam contempladas com a prestação de serviço adequado pelos profissionais”, disse Francisco Alves.

Assessoria de imprensa FIEPE