Ciro chama de “aberração” oferta para vice do PT

Diante da especulação de que o PT teria interesse em oferecer o posto de vice na chapa presidencial, o pré-candidato do PDTCiro Gomes, classificou a possibilidade como uma “aberração”. Ciro não confirmou o convite, mas dirigentes do PT relata que ele foi feito na terça-feira em reunião, em Brasília, entre os partidos de esquerda ao presidente do PDT, Carlos Lupi.

— Eu acho uma aberração. Primeiro, porque sou candidato do PDT. Segundo, não é que sou contra o PT, mas o PT precisa dar um tempo — afirmou o presidenciável, antes de um evento promovido pela Unafisco, nesta quinta-feira, em São Paulo.

— O PT é um dos grandes responsáveis pela tragédia que o Brasil está vivendo nesse momento —acrescentou.

O pedetista também definiu como uma “violência” a decisão da executiva do PT de sepultar a candidatura da vereadora Marília Arraes ao governo de Pernambuco, em prol da neutralidade do PSB na campanha presidencial.

— Cortar o pescoço de uma jovem, mulher, pernambucana, politizada, neta do Miguel Arraes, eu acho uma violência que na minha longa estrada nunca vi coisa igual — afirmou.

Sem coligações até agora, Ciro tem 35 segundos de propaganda eleitoral na TV a cada bloco fixo de 12 minutos e 30 segundos, além de uma inserção de 30 segundos a cada dia. Com o PSB, o tempo poderia saltar para 1 minuto e 25 segundos. O pedetista minimizou a perda de tempo.

— Subtraíram alguns segundos de mim. Não foram duas horas. Isso não vai impedir de eu apresentar minha mensagem — ironizou.

Luís Lima e Sergio Roxo – O Globo