Guru de Bolsonaro acusado

Em nota divulgada na noite desta quarta-feira, a defesa do economista Paulo Guedes , considerado o guru econômico do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) classificou a investigação aberta contra ele como uma “afronta a democracia cujo principal objetivo é o de confundir o eleitor”, diz o texto assinado pelos advogados Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso que representam o economista. Os defensores afirmam ainda que a abertura da investigação pelo Ministério Público Federal às vésperas da definição da eleição presidencial causa “perplexidade”.

procedimento investigatório criminal foi instaurado em 2 de outubro deste ano pela Procuradoria da República em Brasília, com base em um relatório da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) que aponta indícios de fraudes nos aportes feitos pelos fundos de pensão ligados a estatais em dois fundos de investimentos criados pela BR Educacional Gestora de Ativos, empresa de Paulo Guedes. Para os advogados, porém, o relatório é “manifestamente mentiroso”.

As suspeitas levantadas pela Previc envolvem operações realizadas no primeiro ano em que o FIP foi aberto, em 2009 e também em 2013. De acordo com o Previc, logo no primeiro ano todo o aporte recebido dos fundos de pensão ligados a estatais foi destinado a aquisição da empresa HSM Educacional que tinha Paulo Guedes como um dos membros de seu Conselho de Administração e amargou prejuízos nos anos seguintes. Além disso, logo após receber o aporte a HSM Educacional adquiriu da HSM Group, sediada na Argentina, a empresa HSM do Brasil, criada em 2009 e com sede em Barueri (SP).

O negócio teve ágio de R$ 16,5 milhões. A HSM do Brasil, contudo, não tinha ações em bolsa e o valor de suas cotas que foram vendidas foi calculado com base em um laudo. Para a Previc, a HSM Brasil não era operacional o que levantou suspeitas sobre o valor pago. Ainda não está claro porém a relação entre o HSM Group, na Argentina e a empresa da qual Paulo Guedes participava do Conselho de Administração.

Em outras palavras, a suspeita é de que Paulo Guedes teria beneficiado a empresa na qual chegou a atuar como conselheiro a partir dos recursos dos Fundos de Pensão que foram aportados no FIP administrado por ele.

Saiba quais partidos definiram apoio no segundo turno

Com a confirmação de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições presidenciais, os demais partidos começaram a definir a posição que adotarão no pleito.

No primeiro turno, Bolsonaro obteve 49,2 milhões de votos (46,03%) e Haddad, 31,3 milhões (29,28%). O segundo turno está marcado para o dia 28.

Saiba abaixo a posição dos partidos no segundo turno (em ordem alfabética):

DC: O partido de Eymael, que disputou o primeiro turno, decidiu, ontem, por uma posição de neutralidadeno segundo turno. Com isso, os filiados estão liberados para votar em qualquer um dos dois candidatos.

DEM: O presidente do DEM, Antônio Carlos Magalhães Neto, divulgou nota, hoje, anunciando que o partido não apoiará no segundo turno da disputa pelo Palácio do Planalto nem Jair Bolsonaro nem Fernando Haddad. O comunicado do DEM destaca que os integrantes da legenda terão liberdade para apoiar quem quiserem. O próprio ACM Neto se manifestou a favor de Bolsonaro.

Novo: O partido, que concorreu no primeiro turno com João Amoêdo, confirmou, ontem, que não vai apoiar nem Bolsonaro nem Haddad. No entanto, a sigla declarou, em nota aos militantes, que é “absolutamente” contrária ao PT, que, segundo o Novo, “tem ideias e práticas opostas às nossas”.

Patriota: O candidato do partido à Presidência da República, Cabo Daciolo, afirmou que não apoiará nenhum dos dois candidatos que disputarão o segundo turno.

PDT: O partido do presidenciável Ciro Gomes, o PDT, anunciou “apoio crítico” a Fernando Haddad a fim de “evitar a vitória das forças mais reacionárias e atrasadas do Brasil”. Na eleição presidencial, Ciro Gomes terminou o primeiro turno em terceiro lugar, com 13,3 milhões de votos.

Podemos: Em nota divulgada nesta quarta, o partido anunciou que permanecerá neutro no segundo turno. A sigla liberou a militância para apoiar, individualmente, qualquer um dos candidatos.

PP: A sigla divulgou um documento nesta terça em que declara que manterá postura de “absoluta isenção e neutralidade” no segundo turno. A legenda integra o chamado bloco do “Centrão” e no primeiro turno do pleito havia participado da coligação do candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.

PPL: Em nota divulgada nesta terça, o PPL, que concorreu no primeiro turno com João Goulart Filho, declarou apoio a Fernando Haddad. Filho do ex-presidente Jango, Goulart Filho disse no comunicado que o país corre um “grande risco” diante da possibilidade de Bolsonaro se eleger no segundo turno.

PPS: O presidente do partido, Roberto Freire, anunciou, hoje, que o partido fará oposição às duas candidaturas por considerar que os dois projetos de governo ‘flertam com ditaduras’.

PSB: Neutro no primeiro turno, o partido definiu, ontem, o apoio à candidatura de Fernando Haddad. A cúpula da legenda também resolveu liberar os diretórios regionais de São Paulo e do Distrito Federal, onde os candidatos do PSB, Márcio França e Rodrigo Rollemberg, respectivamente, disputarão o segundo turno ao governo estadual.

PSDB: Em reunião nesta terça, a Executiva Nacional do partido, que disputou o primeiro turno com Geraldo Alckmin, decidiu ficar neutro no segundo turno. A cúpula do PSDB, porém, decidiu liberar as direções estaduais da legenda a e os filiados a se posicionarem como quiserem nas unidades da federação.

PSOL: O partido, que disputou o primeiro turno com Guilherme Boulos, declarou que irá apoiar o candidato do PT, Fernando Haddad, no segundo turno. A decisão foi tomada pela Executiva Nacional do partido após reunião na segunda.

PR: O líder do partido na Câmara, deputado José Rocha (BA), informou, hoje, que a legenda decidiu não declarar apoio nem a Bolsonaro nem a Haddad no segundo turno. O PR resolveu liberar seus filiados para manifestarem apoio a quem quiserem. O líder do PR ressaltou que não se trata de neutralidade. “O PR se colocou numa posição de liberar todos os seus representantes. Temos parlamentares que apoiam Bolsonaro e outros, Haddad”, justificou.

PTB: Em nota divulgada nesta terça, o partido anunciou apoio a Bolsonaro. Segundo a nota, as propostas econômicas do candidato do PSL são o principal motivo do apoio.

PRB: O partido decidiu não apoiar Haddad nem Bolsonaro. Informou ter liberado os filiados a votar em quem quiserem, conforme o interesse local.

Solidariedade: Hoje, o partido declarou que ficará neutro na disputa do segundo turno. A sigla liberou os diretórios e seus correligionários a se posicionarem “de acordo com a realidade local dos estados” e orienta o apoio a somente quem “respeitar a Constituição vigente” e “manter o compromisso com a democracia”.

Joel da Harpa pode não ser diplomado pelo TRE e vaga ser distribuída

O deputado estadual reeleito Joel Maurino do Carmo, conhecido como Joel da Harpa, pode não ser diplomado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco.

É que Maurino teve sua candidatura impugnada pelo MP Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa, mas conseguiu uma decisão por 4×3 a seu favor no TRE-PE sob o argumento de que não fora excluído da PMPE, mas sim transferido para a Reserva Remunerada.

O MP Eleitoral recorreu para o TSE (Proc. 0600792-92.2018.6.17.0000), e ontem veio a má surpresa para Joel: a FUNAPE “cassou” sua reserva remunerada (aposentadoria) com efeito retroativo.

Ou seja, quando do julgamento pelo TRE-PE ele estava efetivamente inelegível. Agora o MP Eleitoral deve juntar a portaria da FUNAPE ao processo no TSE e sepultar de vez a pretensão do deputado.

Com isso poderá haver recálculo dos votos e outra coligação receber a vaga que seria destinada ao deputado eleito.

Por Edmar Lyra

PSB decide apoiar Haddad no segundo turno

A Executiva Nacional do PSB decidiu, ontem, que o partido irá apoiar o candidato do PT, Fernando Haddad, no segundo turno das eleições presidenciais.

A cúpula da legenda também resolveu liberar os diretórios regionais de São Paulo e do Distrito Federal, onde os candidatos do PSB, Márcio França e Rodrigo Rollemberg, respectivamente, disputarão o segundo turno ao governo estadual.

“O PSB acaba de aprovar uma resolução em que define o seu apoio no segundo turno da eleição presidencial ao candidato Fernando Haddad, propondo que se forme uma frente democrática contra uma candidatura que representa o extremo oposto da candidatura das forças democráticas”, afirmou o presidente nacional do partido, Carlos Siqueira.

Ele disse ainda ter “confiança absoluta” na decisão que os diretórios em SP e no DF tomarão. “No estado de São Paulo e no Distrito Federal, os diretórios poderão examinar as suas coligações e decidir o que devem fazer, tendo em consideração que temos confiança absoluta no Márcio França e no Rodrigo Rollemberg em que eles precisam ter a liberdade para conduzir as suas campanhas e conquistar uma vitória nessas duas unidades importantíssimas da federação do nosso país”, declarou.

Questionado se França e Rollemberg poderão apoiar o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, o presidente da sigla disse que confia “plenamente” nos dois e que eles tomarão “a decisão mais correta, que tenha consonância com a história do partido”.

“Nós asseguramos a liberdade e sabemos que eles vão tomar a decisão correta em relação ao seu estado”, afirmou o presidente nacional do partido, Carlos Siqueira.

Durante o primeiro turno, Rollemberg chegou a fazer ato de campanha ao lado de Ciro Gomes, que disputava a Presidência da República pelo PDT.

O PSB também está no segundo turno em Sergipe, com Valadares Filho, e no Amapá, com João Capiberibe. No caso do Amapá, o PSB já está em uma aliança com o PT. O partido já elegeu no primeiro turno Paulo Câmara em Pernambuco, João Azevedo na Paraíba e Renato Casagrande no Espírito Santo.

Siqueira defendeu que Haddad procure “todos os democratas” e “pessoas de bem para que a sua candidatura represente uma frente democrática.

“No momento difícil em que vive o país, com essa polarização, e tendo em vista a necessidade de unidade nacional e das forças democráticas, [propomos] que a candidatura [de Haddad] se transforme em uma candidatura da frente democrática, que agregue personalidades e instituições que defendam a democracia e que o programa não seja apenas de um partido”, disse.

Bolsonaro promete viajar pelo Norte e Nordeste

Jair Bolsonaro disse a aliados que, se for liberado pelos médicos, pretende viajar para o Nordeste e ir a Roraima, região Norte do país. Ele não planeja, por enquanto, voltar a São Paulo –estado em que já obteve forte desempenho eleitoral no primeiro turno.

Projeções sobre um eventual governo Bolsonaro tomaram parte da reunião de dirigentes do centrão, na segunda (8). Ala do grupo considera o presidenciável imprevisível e vê risco de um esgaçamento rápido nas relações entre Planalto e Congresso, caso ele seja eleito –o que essas siglas julgam provável.

A eventual eleição de Bolsonaro embaralhou, inclusive, os planos de sucessão no comando da Câmara e do Senado. O centrão ainda não encontrou um senador disposto a disputar a presidência da Casa sob um governo do capitão reformado.

Por Daniela Lima/Folha de S. Paulo – Coluna Painel

Acidente com ex-prefeito de Ouricuri deixa duas vítimas

Um acidente trágico no final da manhã dessa terça-feira, próximo ao povoado de Lagoas, onde o saldo é de 2 pessoas mortas, uma mulher e uma criança, que faria 1 ano em novembro, filho do advogado Franklin Aquino e da senhora Paula, a criança Carlos Alberto Muniz Coelho Neto.

O ex prefeito de Ouricuri, Carlos Alberto Muniz Coelho, (Bibi Coelho), que estava no veículo de sua filha, ficou preso às ferragens e foi removido pelo Corpo de Bombeiros, levado ao hospital de Santa Cruz e encaminhado ao Hospital Regional Fernando Bezerra em Ouricuri, onde deu entrada consciente, com fratura em um dos punhos, um profundo corte na cabeça, o qual perdeu muito sangue preso às ferragens, no aguardo do Bombeiros.

Leia também 

Depois de quase 30 anos, Ouricuri terá novamente representação política na Alepe

João Campos supera a votação do pai Eduardo Campos, avó Ana Arraes e do bisavó Miguel Arraes

No local, as ferragens do veículo foram serradas para a retirada da vítima, (Bibi), o qual passou por avaliação médica no HRFB, e será submetido a uma tomografia para avaliar a lesão.

Os envolvidos seguiam para Petrolina, para um apartamento de propriedade do advogado Franklin, esposo de Paula, que conduzia o veículo, uma Jeep modelo Track da Chevrolet.

Segundo o sobrinho, Guga Coelho, no local, policiais relataram a suspeita de capotamento do veículo por várias vezes, devido a quantidade de buracos na pista, próximo a um posto de combustíveis em Lagoas.

No carro estavam, Bibi Coelho, a esposa Helena Coelho, a filha do ex prefeito, Paula , a babá da criança, de nome Rita e o bebê, esses dois últimos, vítimas fatais.

O acidente ocorreu por volta das 10 horas da manhã dessa terça-feira, 09 de outubro.

Araripina em Foco/Informação de Emanuel Cordeiro/Foto:Reprodução

Primeira parcial para deputados mais votados de em Pernambuco

Acompanhe a primeira parcial dos deputados federais e estaduais mais bem votados em Pernambuco.

FEDERAL
João Campos PSB 41.611
André de Paula PSD 17.754
Marília Arraes PT 16.276
Sebastião Oliveira PR 15.341
André Ferreira 14.661

ESTADUAL
Delegada Gleide Ângelo 25.968
Clodoaldo Magalhães 12.186
Juliana Chaparral 9.281
Alessandra Vieira 8.452
Lucas Ramos 7.741

Pesquisa: Bolsonaro 42, 6% contra 27, 8% de Haddad

O candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, lidera a corrida eleitoral com 36,7% (42,6% dos votos válidos), segundo pesquisa CNT/MDA divulgada no início da tarde deste sábado. Se a eleição fosse hoje, o candidato iria para um segundo turno com o petista Fernando Haddad, que caiu para 24,0% (27,8% dos votos válidos). Os votos válidos excluem os brancos e nulos.

Em terceiro lugar está Ciro Gomes (PDT), citado por 9,9% dos entrevistados (11,5% dos votos válidos). Geraldo Alckmin (PSDB) aparece com 5,8% (6,7% dos votos válidos), João Amoêdo (Novo) tem 2,3% e Marina Silva (Rede) ficou com 2,2%. Alvaro Dias (Podemos) tem 1,7%, Henrique Meirelles (MDB),1,6%, e Cabo Daciolo (Patriota) tem 1,3%. Guilherme Boulos (PSOL), João Goulart Filho (PPL), Vera Lúcia (PSTU) e José Maria Eymael (DC) não pontuaram. Branco e nulos somaram 7,8% e os indecisos ficaram em 6,0%.

Vale notar que o levantamento demonstra uma arrancada de 8,5 pontos porcentuais em votos totais de Bolsonaro em relação à pesquisa CNT/MDA anterior, divulgada em 30 de setembro. Haddad, por sua vez, caiu dentro da margem de erro da pesquisa, que é de 2,2 pontos porcentuais para mais, ou para menos. Na ocasião anterior, o candidato do PSL tinha 28,2% das intenções de voto e Fernando Haddad 25,2%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 4 e 5 de outubro de 2018. Foram ouvidas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas, das cinco regiões do país. A pesquisa tem 95% de nível de confiança e está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), sob o número BR-04819/2018.

Segundo Turno

Em simulação de segundo turno, Jair Bolsonaro venceria Fernando Haddad, caso a eleição fosse hoje, por 45,2% a 38,7%. Jair Bolsonaro também venceria Geraldo Alckmin (de 43,3% a 33,5%) e aparece em empate técnico contra Ciro Gomes. Fernando Haddad perderia para Ciro Gomes (de 40,9% a 31,1%) em eventual segundo turno e aparece empatado com Geraldo Alckmin.

Veja – Por Redação