Capoeira se torna Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco

A capoeira passa a ser, a partir desta quarta-feira (31), Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco. O título foi concedido com a sanção, pelo governador Paulo Câmara (PSB), do Projeto de Lei nº 1709, de 7 de dezembro de 2017, que tem autoria do deputado estadual Zé Maurício (PP).

De acordo com o governo de estado, o objetivo da lei é “fortalecer os laços da cultura e da educação e perpetuar a importância da manifestação cultural na vida dos pernambucanos”. Manifestação cultural que tem origem afro-brasileira, a capoeira é caracterizada como jogo, luta e dança, praticados inicialmente pelos escravos de origem africana.

A roda de capoeira foi registrada como bem cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2008. Em novembro de 2014, recebeu o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco.

Orquestra Sinfônica do Recife

No dia 9 de outubro, a Orquestra Sinfônica do Recife (OSR) passou a ser Patrimônio Cultural Imaterial da cidade. A Lei 18.519/2018 foi sancionada pelo prefeito Geraldo Júlio (PSB) e publicada no Diário Oficial do Recife após projeto de lei da vereadora Ana Lúcia (PRB).

Fundada há 88 anos, a OSR tem 85 músicos que tocam violas, violinos, violoncelos, contrabaixos, flautas, oboés, clarinetes, fagotes, trompas, trompetes, tubas e instrumentos de percussão. A orquestra foi fundada pelo primeiro regente, Vicente Fittipaldi. De acordo com a Prefeitura do Recife, a OSR é a orquestra mais antiga do Brasil em atividade ininterrupta.

Do G1 Petrolina