Bezerra Coelho faz agenda em local símbolo da gestão do PSB

Após romper com a Frente Popular, o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) visitou um local simbólico para atacar a gestão do PSB, nesta sexta-feira. A comunidade da Ilha de Deus, no bairro da Imbiribeira, foi o espaço da primeira agenda público do Governo Eduardo Campos, em 2007. Em busca da pavimentação da sua candidatura ao Palácio das Princesas, o parlamentar aposta no discurso de que o governador Paulo Câmara (PSB) está desconstruindo o legado de Campos. Bezerra integrou o projeto do PSB por cerca de 10 anos até romper com a sigla no ano passado.

O senador visitou o local acompanhado da sua principal liderança aliada na Região Metropolitana do Recife, o primeiro secretário da Câmara de Vereadores, Marco Aurélio Medeiros (PRTB). Por meio da sua assessoria de imprensa, o gestor publicou uma matéria onde acusa que projetos na comunidade foram paralisados a partir de abril de 2015, quando Paulo Câmara assumiu o Governo do Estado, “interrompendo um ciclo de transformações que chegou a servir de modelo internacional”.

“O que vemos aqui é o símbolo de um governo que fechou os olhos para os que mais precisam. Um descaso impressionante, que só comprova que é preciso virar a página e começar um novo ciclo em Pernambuco”, disse.

Bezerra Coelho foi Secretário de Desenvolvimento Econômico durante a primeira gestão de Eduardo, entre 2007 e 2010. Durante a visita, o gestor assumiu o compromisso de levar projetos de capacitação para os moradores da comunidade. “Irei ao Ministério do Desenvolvimento Social para assegurar estes recursos e que elas possam permanecer trabalhando. O que não podemos é aceitar que conquistas obtidas com tanto esforço sejam perdidas por falta de iniciativa de um governador que fracassou”, criticou.

Segundo os moradores consultados pelo senador, a principais preocupações da comunidade são a criminalidade e tráfico. “Vamos nos mobilizar para que isto não aconteça, estas pessoas sempre tiveram coragem para lutar e não merecem este tipo de tratamento. O compromisso assumido aqui em 2006 não irá ser quebrado”, destacou Fernando. (Blog da Folha)

Deixe uma resposta