Grupo das oposições lança manifesto nesta segunda contra projeto de reeleição de Paulo Câmara

O primeiro passo para consolidar o grupo das oposições em Pernambuco para confrontar o projeto de reeleição do governador Paulo Câmara (PSB) será dado hoje no Recife. Intitulado ‘Pernambuco Quer Mudar’, o ato político será realizado às 17h, na Arcádia do Paço Alfândega, sob a liderança dos senadores Armando Monteiro Neto (PTB) e Fernando Bezerra Coelho (PMDB), os ministros de Minas e Energia, Fernando Filho (sem partido) e da Educação, Mendonça Filho (DEM), e o deputado federal Bruno Araújo (PSDB). A ideia é construir “uma nova” proposta com argumentos que possam encerrar o ciclo do PSB no estado iniciado com a eleição de Eduardo Campos em 2006.

O discurso de mudança, inclusive, está presente nas palavras dos líderes do movimento. “As pessoas estão frustradas com os resultados apresentados por essa gestão, que não tem projeto. O estado está estagnado, apresenta a maior taxa de desemprego do país, e sendo ultrapassado pelos (Estados) vizinhos“, argumentou Fernando Bezerra.

As oposições estão se organizando para apresentar alternativas aos pernambucanos e pernambucanas em 2018. Essa reunião marca o primeiro grande ato público nesse sentido”, acrescentou.

Ao avaliar a realização do encontro, Armando Monteiro foi na mesma linha. “É um evento que pretende mostrar que essas forças de oposição reconhecem que há um sentimento de que o Estado está vivendo um certo marasmo e nós, enquanto autoridades, estamos sintonizados com isso“, observou o senador. Logo na abertura da reunião, de acordo com o petebista, será apresentado um diagnóstico sobre a atual situação de Pernambuco, com base em dados fornecidos por instituições que atuam nesse acompanhamento.

O material que será exibido terá com foco não apenas a questão da violência, um dos calos do governo Paulo Câmara, de acordo com os organizadores, mas problemas que afetam as áreas da saúde, educação, infraestrutura hídrica e mobilidade, por exemplo. “Será uma avaliação de todo estado por meio de informações que são públicas e divulgadas por instituições idôneas”, disse Armando. Após a apresentação do raio x do estado, o microfone será aberto para os depoimentos.

Candidaturas

Sobre a movimentação dos oposicionistas, o senador explicou que no momento não existe definição sobre candidaturas. “Todas essas lideranças têm condições (de disputar o governo estadual). Então, esse é um bom problema para oposição. Enquanto uns não têm ninguém, nós temos ótimos quadros para lidar com uma proposta nova para Pernambuco. Mas essa discussão ocorrerá mais pra frente“, ressaltou Armando.

Além do encontro no Recife, o grupo também vai visitar todas as regiões do estado para ouvir moradores. “Vamos colher sugestões para construírmos um projeto que possa recolocar Pernambuco na posição de liderança que ele sempre ocupou no Nordeste“, frisou Fernando Bezerra Coelho. Os ex-governadores João Lyra Neto e Joaquim Francisco, ambos do PSDB, também estão entre os líderes do movimento. (Fonte: Diário de PE/foto: Blog do Carlos Britto/arquivo)

“Sou candidato a governador e vou ganhar a eleição”, diz FBC

O senador Fernando Bezerra Coelho informa à coluna que após demorada reflexão sobre o cenário político estadual para 2018, decidiu: “Sou candidato a governador e vou derrotar esse governo (Paulo Câmara) por muitos votos”. Foi a primeira vez nos últimos 60 dias que o senador assumiu-se claramente como candidato ao Palácio do Campo das Princesas, sem embargo do diálogo mantido com outras forças políticas da Oposição a exemplo do senador Armando Monteiro, do ministro Mendonça Filho e do ex-ministro Bruno Araújo. Ele nota disposição em Armando no sentido de concorrer pela segunda vez ao Governo do Estado, percebe Mendonça na expectativa de compor a chapa de Alckmin como representante do DEM na região Nordeste e vê interesse em Bruno Araújo no sentido de disputar uma vaga de senador. Por esse motivo, pretende repetir a mesma estratégia utilizada por Eduardo Campos em 2006: pé na estrada para chegar ao ano da eleição tendo visitado praticamente todos os municípios pernambucanos. O senador se convenceu de que a eleição será em dois turnos e que os finalistas serão ele e Paulo Câmara. No segundo turno, que será nova eleição, o processo se encarregaria de reunir todos contra o governador – de Marília Arraes a Antonio Campos, de Armando Monteiro a Bruno Araújo, de Mendonça Filho a Humberto Costa, passando ainda por Raul Jungmann, Elias Gomes, João Lyra Neto, Sílvio Costa, Joaquim Francisco e Priscila Krause.

Vitória política

Questionado sobre a disputa político-jurídica com Jarbas Vasconcelos pelo controle do PMDB estadual, Fernando Bezerra Coelho respondeu: “Nossa defesa está bem encaminhada, mas politicamente isso já está resolvido! O partido é nosso. No entanto, mesmo que a gente perca na justiça, a direção nacional irá reunir-se no próximo dia 17/12 e dará a palavra final em nosso favor”.

Conselho – Segundo Fernando Bezerra, Jarbas e Raul Henry alegaram em suas ações que só quem pode intervir em diretórios estaduais é o “conselho político” do PMDB, órgão que nunca se reuniu e que foi extirpado do estatuto do partido em 2014. “Portanto, o estatuto que vai valer é o que a direção nacional disser que vale”.

Parecer – O senador também não tem dúvida de que o parecer do deputado Baleia Rossi (PMDB-SP) será favorável à dissolução do PMDB Pernambuco, bem como à sua reestruturação sob o comando dele, do filho, Fernandinho, ministro de Temer, e do prefeito Miguel Coelho (Petrolina).

Placar – Fernando Bezerra e o presidente nacional do PMDB, Romero Jucá, já mapearam os votos dos 23 membros da executiva nacional do partido. Na pior das hipóteses, diz ele, 17 dos 23 membros votarão em seu favor para dar uma “nova orientação política” ao PMDB estadual.

O centro – Alckmin inicia hoje por Pernambuco sua caminhada em direção à Presidência da República. Para o Brasil, que atravessa dias turbulentos, é o melhor candidato: experiência comprovada, sensatez, equilíbrio e probidade. Mas a decepção do povo com políticos tradicionais é tanta que eventual eleição de Bolsonaro ou de Luciano Huck seria um desastre, mas não uma surpresa.

Pode mais – Júlio Lossio (PMDB), ex-prefeito de Petrolina, lançou na cidade o movimento “Pernambuco pode mais” e pretende visitar todos os municípios do Estado empunhando esta bandeira. Não será um movimento “de esquerda, nem de direita”, e sim em favor do Estado.

Por Inaldo Sampaio

Lucas Ramos rebate bancada de oposição

Integrante da bancada governista, o deputado estadual Lucas Ramos (PSB) rebateu nesta sexta-feira (29) a sugestão da bancada de oposição acerca da implantação de um Batalhão Especializado de Policiamento (Biesp) no município de Petrolina, no Sertão do São Francisco. De acordo com o socialista, a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou por unanimidade, em junho, a indicação nº 8046/2017. “Ficamos felizes por vermos os deputados oposicionistas respaldando as decisões do governador no tocante das ações de combate à violência, apresentando soluções que já estão sendo implantadas pelo Poder Executivo estadual através da Secretaria de Defesa Social”, disse Lucas Ramos, por meio de nota.

Leia também 

Em Petrolina, Oposição propõe Pacto pela Vida regionalizado e cobra promessas feitas à população

Vereadores vão a Recife cobrar do governo do estado mais segurança para o Sertão do Araripe

Jorge Gomes comemora chegada dos Queiroz no Governo

De acordo com o parlamentar do PSB, o trabalho de combate à criminalidade é “constante e prioritário” na gestão Paulo Câmara (PSB). “Reforçamos nesse mês de setembro o patrulhamento com mais de 1.500 policiais militares nas ruas e uma nova turma, com 1.300 homens e mulheres, já está em formação. Em tempos de crise, arrocho fiscal e econômico, Pernambuco investe forte na segurança: além de novos equipamentos e armamentos adquiridos, toda a frota das polícias está sendo renovada e o governo vai implantar um Grupo Tático Aéreo da PM no Sertão, importante para o trabalho de repressão ao tráfico de armas, drogas, investidas a bancos e roubo de veículos em nosso estado”, afirmou.

Por fim, o deputado estadual Lucas Ramos, que é de Petrolina, afirma que, ao sugerir um Biesp na cidade, a bancada de oposição “reconhece o trabalho sério do governador Paulo Câmara na busca da construção de um estado de paz. E estamos prontos para ajudar”.

Blog da Folha

Campanha arrecada brinquedos para crianças da Serra do Inácio em Araripina

Missões Além das Possibilidades”, esse é um projeto dos amigos Alessandro Reis e Rudnei Antunes. o Projeto visa arrecadar brinquedos para crianças carentes da Serra do Inácio em Araripina, sertão do Araripe.

A ideia é arrecadar um total de 400 brinquedos, já foram arrecadados 250 brinquedos. 200 bonecas e 50 carrinhos. Falta agora 150 carinhos ou brinquedos para meninos.

Não precisa ser nada caro.

Vamos ao intuito de fazer essas crianças se sentir amadas e não esquecidas.

Contato para doações – 87 9921-2223

Araripina em Foco/Damião Sousa/Foto Rudnei Antunes 

“A prefeitura oferece 105 vagas por semana para pacientes que precisarem fazer o tratamento no Recife”, diz Roseilton em resposta a Edivaldo

A gestão passada tinha um ônibus que fazia esse trajeto de Araripina à Recife, mas tinha um gasto além do que precisava, defende Roseilton Oliveira (PTC).

O líder da bancada de situação foi cobrado pelo vereador Francisco Edivaldo, sobre essas vagas no TFD. Em resposta, Roseilton disse que o vereador estava desenformado em relação às vagas disponíveis para os pacientes que precisam ir ao Recife, pois não são 15 vagas por semana, são 15 a 20 vagas por dia, sem exceções de sábado ou domingo, o que totalizam cerca de 105 disponíveis.

Em contato com o Secretário de Saúde do município de Araripina, Álvaro Salvador, ele disse que essas vagas ultrapassam o número de 120 pessoas por semana.

Araripina em Foco/Damião Sousa/Foto Rafael Diniz Câmara

Vereador diz que prefeitura de Araripina reduziu número de vagas para pacientes que precisam ir ao Recife fazer tratamentos

O vereador Francisco Edivaldo, na tribuna da casa Joaquim Pereira Lima, disse que ouviu reclamações de pessoas que não poderão viajar para o Recife por que houve uma redução no quadro de pessoas para irem a Capital fazer tratamento.

O vereador disse que no governo de Alexandre Arraes eram 40 pessoas por semana, segundo ele a prefeitura reduziu para 15.

– “A minha crítica não é para fazer o mal a gestão ou fazer política, é uma crítica construtiva. Eu quero uma resposta do poder executivo, o povo precisa dessa resposta, eu tenho relatos que a casa de apoia não é essas mil maravilha”, disse Francisco Edivaldo.

Araripina em Foco/Damião Sousa/Foto Rafael Diniz

Será que Aluísio e Alexandre vão dividir o mesmo palanque em 2018? Vereador ligado a Alexandre Arraes apresentou título de cidadão ao médico Aluísio Coelho!

O projeto foi apresentado por Francisco Edivaldo (PSB), vereador que tem uma forte ligação com Alexandre Arraes (PSB) e com a deputada Roberta Arraes (PSB).

A apresentação desses títulos para o médico Aluízio Coelho e sua esposa Dra. Janaína Coelho, mostra que mais uma fez Aluísio e Alexandre podem marchar juntos numa eleição.

Aluísio Coelho foi candidato na eleição passada de 2016, apoiado pelo então prefeito Alexandre Arraes e por todo o seu grupo. Após a eleição, o médico e o grupo do ex-prefeito negam qualquer tipo de reaproximação. Aluísio sempre diz que em breve terá novidades, mas não revela se é ou não candidato, ou se vai apoiar o grupo do ex-prefeito Alexandre Arraes.

Araripina em Foco/Damião Sousa/Foto Divulgação

“Paguem o Seguro Safra de Araripina” diz vereador Francisco Edivaldo

Oposição parte para cima da gestão Pimentel

Na sessão Câmara dessa quarta-feira (27), a bancada de oposição partiu para cima da gestão do prefeito Raimundo Pimentel (PSL).

As cobranças foram muitas, e indagando sempre a questão da saúde no município de Araripina. – “As Filas são uma vergonha nos postos de saúdes de Araripina”, diz Edivaldo.

Seguro Safra – O vereador Francisco Edivaldo diz que o seguro  Safra no município de Araripina está com duas parcelas atrasadas. Ainda segundo o vereador o governo do estado já fez o repasse da parcela do Seguro Safra para Araripina.

Araripina em Foco/Damião Sousa/Foto Rafael Diniz Câmara

STF permite promoção de crenças no ensino religioso

Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, hoje, permitir que professores de ensino religioso em escolas públicas promovam suas crenças em sala de aula.

No julgamento, retomado hoje, somaram-se 6 ministros, entre os 11 integrantes da Corte, favoráveis à possibilidade do modelo “confessional”. Nessa modalidade, os professores são representantes de uma religião com liberdade para influenciar os alunos.

Votaram nesse sentido Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Cármen Lúcia.

A favor do modelo “não confessional” votaram o relator, Luís Roberto Barroso, e os ministros Rosa Weber, Luiz Fux, Marco Aurélio Mello e Celso de Mello. Eles defendem que o ensino religioso se limite à exposição das doutrinas, história, práticas e dimensão social das diferentes crenças, do ateísmo e do agnosticismo.

Entenda o julgamento

A Constituição Federal prevê o ensino religioso nas escolas públicas brasileiras como disciplina do ensino fundamental (para alunos de 9 a 14 anos de idade), mas estabelece que a matrícula é facultativa. Ou seja, o estudante pode se recusar a cursar a disciplina por vontade própria ou da família.

Cada estado organiza a melhor maneira de oferecer o ensino religioso dentro de sua grade de horários. Parte dos estados faz parcerias com igrejas e instituições religiosas para contratar professores (remunerados ou não, dependendo da religião) para dar as aulas.

A ação em julgamento, apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR), propõe que as aulas se limitem à exposição das doutrinas, história, práticas e dimensões sociais das diferentes crenças, assim como do ateísmo e do agnosticismo – o chamado modelo “não-confessional”.

 

Governo arrecada R$ 12,1 bi em leilão de quatro hidrelétricas

O governo arrecadou 12,1 bilhões de reais com o leilão da concessão de quatro hidrelétricas operadas pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), realizado na manhã desta quarta-feira. As usinas  estavam com a licitação vencida. Os novos contratos preveem exploração das hidrelétricas por trinta anos. O valor total ficou 9,7% acima do esperado.

A capacidade total instalada das empresas é de  2.922 megawatts/hora. O critério para a venda foi o de maior oferta de outorga, e o valor inicial total era de 11,05 bilhões de reais. No Twitter, o presidente Michel Temer comemorou o resultado do leilão, acima do esperado pelo governo, dizendo que isso mostra confiança dos investidores no país. “Nós resgatamos definitivamente a confiança do mundo no Brasil”, escreveu.

Nós resgatamos definitivamente a confiança do mundo no Brasil. Leilão das usinas da Cemig rendeu R$12,13 bi, acima da expectativa do mercado.

As licitações fazem parte do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), do governo federal, que reúne projetos em infraestrutura a ser concedidos à iniciativa privada. O governo busca atrair investimentos e espera dispor  do dinheiro de concessões para fechar as contas. A meta para o ano é de um rombo fiscal de 159 bilhões de reais.