DILMA MANTÉM DIANTEIRA EM 1º E 2º TURNOS

Pesquisa Ibope
divulgada nesta terça-feira (22) pelo Jornal Nacional, da TV Globo, mostrou que
a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, tem 38% dos votos.
Em segundo lugar aparece o candidato do PSDB a presidente do país, senador
Aécio Neves, com 22% das intenções de votos. O ex-governador de Pernambuco,
Eduardo Campos, candidato a Presidência pelo PSB, aparece com 8% dos votos. O
Pastor Everaldo tem 3%.
No levantamento
anterior realizado pelo instituto, em junho, Dilma aparecia com 39%, Aécio com
21% e Campos com 10%. O candidato do PSC, Pastor Everaldo, alcançou 3% das
intenções de voto, mesmo percentual do levantamento anterior.
Confira abaixo os
números do Ibope, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes de todos os
candidatos são apresentados ao eleitor (os candidatos que aparecem com 0% são
os que tiveram menos de 1% das menções cada um):
– Dilma Rousseff (PT):
38%
– Aécio Neves (PSDB):
22%
– Eduardo Campos (PSB):
8%
– Pastor Everaldo
(PSC): 3%
– Luciana Genro (PSOL):
1%
– Zé Maria (PSTU): 1%
– Eduardo Jorge (PV):
1%
– Eymael (PSDC): 0%
– Levy Fidelix (PRTB): 0%
– Mauro Iasi (PCB): 0%
– Rui Costa Pimenta
(PCO): 0%
– Branco/nulo: 16%
– Não sabe/não
respondeu: 9%
O Ibope fez a pesquisa
entre as últimas sexta (18) e segunda (21). O instituto ouviu 2.002 eleitores
em 143 municípios. A margem de erro é de dois pontos, para mais ou para menos.
O nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que o instituto tem 95% de
certeza de que os resultados obtidos estão dentro da margem de erro. A pesquisa
está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-00235/2014.
Pesquisa espontânea
Na parte da pesquisa em
que os entrevistadores do Ibope simplesmente perguntaram ao eleitor em quem
votará (sem apresentar a ele a relação dos candidatos), 26% mencionaram Dilma.
Veja abaixo:
– Dilma Rousseff: 26%
– Aécio Neves: 12%
– Eduardo Campos: 4%
– Outros: 2%
– Brancos/nulos: 17%
– Não sabe/não
respondeu: 39%
Segundo turno
O Ibope fez simulações
de segundo turno entre Dilma e Aécio e entre Dilma e Campos. Os resultados são
os seguintes:
– Dilma Rousseff: 41%
– Aécio Neves: 33%
– Branco/nulo: 18%
– Não sabe/não
respondeu: 8%
– Dilma Rousseff: 41%
– Eduardo Campos: 29%
– Branco/nulo: 20%
– Não sabe/não
respondeu: 10%
Rejeição
A pesquisa aferiu a
taxa de rejeição de cada um dos candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor
diz que não votará de jeito nenhum. Dilma tem a maior rejeição e Eduardo Jorge,
a menor:
– Dilma Rousseff: 36%
– Aécio Neves: 16%
– Pastor Everaldo: 11%
– Zé Maria: 9%
– Eduardo Campos: 8%
– Eymael: 8%
– Levy Fidelix: 8%
– Luciana Genro: 6%
– Mauro Iasi: 6%
– Rui Costa Pimenta: 6%
– Eduardo Jorge: 5%
– Poderia votar em
todos: 13%
– Não sabe/não
respondeu: 17%
Expectativa de vitória
De acordo com o Ibope,
54% dos entrevistados (independentemente da intenção de voto) acham que o
futuro presidente da República será Dilma Rousseff; 16% opinaram que será Aécio
Neves; 5% acreditam que será Eduardo Campos.
Desejo de mudança
Aumentou do desejo de
mudança do eleitorado em relação à pesquisa anterior. No levantamento anterior,
de maio, 65% diziam que gostariam de mudar tudo ou quase tudo no governo.
Agora, os mudancistas são 70%. Eles se dividem em dois grupos: 29% gostariam que
o próximo presidente mudasse totalmente o governo do País (eram 30% em maio), e
outros 41% querem que o próximo governante mantenha alguns programas mas mude
muita coisa – ante 35% na pesquisa anterior.
Segundo 18% dos
eleitores, o próximo presidente deveria fazer poucas mudanças e manter muitas
coisas – ante 21%. Para 10%, a próxima gestão deveria dar total continuidade ao
atual governo. Os que queriam total continuidade eram 9% em maio.
Situação econômica
A maior parte dos
eleitores classifica a atual situação econômica do Brasil como regular. É a
opinião de 48%, segundo o Ibope. Partes equivalentes avaliam que a economia
está boa ou ótima (24%), ou julgam que, ao contrário, a situação econômica está
ruim ou péssima (25%).
O Ibope também
perguntou aos eleitores sobre suas expectativas para a economia do País em
2015. A maior parte (41%) acredita que a situação estará no próximo ano igual a
como está hoje. Outros 34% acreditam que estará melhor, e 18%, que ficará pior
do que em 2014.
Avaliação do governo
Dilma:
Bom/Ótimo – 31%
Regular – 36%
Ruim/Péssimo – 33%
Forma de governar de
Dilma
Aprovam – 44%
Desaprovam – 50%
A sondagem foi
encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.

(Brasil-247)