“Câmara sepultou definitivamente a figura do Cunha